No dia do meu aniversário…

Sabe quando sua mente está agitada? Algo que te faz acordar as 6:54 da manhã e não te permite mais dormir. O efeito da bebedeira da noite anterior ajuda a atormentar e tudo parece meio… irreal.

Hoje é um dia especial. Ao menos deveria ser. Por que, então, estou me sentindo assim? Por que essa angústia insiste em ser uma visita mal vinda que se recusa a ir embora? Por que não consigo criar coragem para levantar da cama me sentindo impotente demais nesse mundo tão grande?

Acordei essa manhã me sentindo tão frágil, tão vulnerável, com tanto medo do mundo. E me perguntaram como pude viver por tanto tempo nesse mundo sem me sentir assim? A verdade é que eu já me senti assim antes, mas lutei tanto para mudar isso. Eu acreditei tanto que as pessoas eram do bem, que ninguém tinha maldade dentro de si, que todos eram capazes de desejar a felicidade ao próximo. Eu acreditei que podia voar e me disseram que eu tinha que por meus pés no chão.

Parece um choque de realidade, um alerta gritando dentro de mim: Foge, foge desse mundo que não merece amor, que não merece paz. Foge dessas pessoas ignorantes que não entendem que a natureza foi criada como um presente para elas, um presente que deve ser preservado e respeitado. Essas pessoas que maltratam os animais e tornaram comum poluir tudo com todo o seu consumismo. Como podemos aceitar como “normal” um mundo onde pais assassinam seus filhos, crianças torturam bichinhos por diversão, amigos roubam amigos e padrastos abusam de enteadas? Alguém me explica, por favor, como podem me dizer pra me conformar com ESSE mundo e acharem que ter fé na paz é loucura? Um mundo onde amar é ridículo e elogiar um estranho é maluquice. Quando foi que chegamos nesse ponto humanidade?

Se eu tiver que aceitar o mundo dessa forma prefiro não pertencer a ele. Na verdade, sempre tive certeza de que não pertenço. Por que manter os pés no chão se eu posso voar? Por que ser infeliz se eu posso amar? Fomos criados de uma forma tão perfeita. Temos dentro de nós a capacidade para fazer tantas coisas grandiosas. Hoje é um dia difícil, muitos dias difíceis ainda virão. Mas a minha fé de que algum dia o bem pode vencer o mal não vai acabar, porque se isso acontecer eu acabo junto com ela.

Por que as pessoas insistem em querer que sejamos diferentes? Se eu não fosse exatamente do jeito que eu sou metade das pessoas que eu amo não me amariam. Talvez seja justamente essa maluquice toda dentro de mim que encanta, que atrai. Então vou continuar sendo maluca, num mundo onde a loucura se tornou normal. Prefiro ser quem eu sou do que aceitar esse planeta da maneira como ele se transformou, do que aceitar a humanidade da forma que ela é. Você não vai ler meus textos mesmo, nem se importar com o eu acontece dentro de mim.

Dias melhores virão. Afinal, o sol sempre volta a brilhar…