Ninguém seria nada sem o prazer de amar!

Um amor tão divino quanto a vida, quanto a natureza…não precisa de mais do que o corpo! Um amor que reflecte a história do Universo no mais profundo sentimento de liberdade…apenas deseja o corpo para servir o prazer, para servir a vida!

O que seria da vida sem o prazer, sem a felicidade, sem o amor? NADA! Ninguém seria nada sem o prazer de amar! Amar alguém que também nos ama; amar sem questionar o tempo, sem questionar a vida! Pois tanto o tempo como a vida chegam um dia ao fim…e nesse dia apenas nos sobram as memórias da vida terrena, nada mais! Nesse dia tudo será deixado para trás com a certeza de que aproveitamos o dom de Deus, a Vida!

Mas o prazer também é dom: o prazer de dois corpos que se encontram e que se amam como se a vida fosse acabar naquele instante…é divino, é sagrado! No céu temos as almas, na terra temos os corpos. Devemos assim servir-nos de cada um de acordo com a situação atual. Se estamos vivos, temos o corpo, temos a carne! E de que nos serve a carne senão para o prazer de amar um corpo?

O amor é um conceito abstracto que nasce de dois corpos bem concretos! Sim…os corpos têm dentro a alma…que é apenas vista através dos olhos, através do olhar apaixonado pela vida, pelo amor, pelo prazer! Esses dois corpos amam-se, como só na Terra se pode amar! Amam-se carnalmente…amam cada centímetro do corpo do sexo oposto e insistem na felicidade de cada um!

O sexo feminino com toda a sua delicadeza, suavidade e formosura, com todo o seu desejo e toda a ternura…deixa-se entregue e submisso ao toque do sexo masculino. Já o sexo masculino com toda a força, com toda a agressividade e com toda a paixão…domina o sexo feminino num ato de sofreguidão e PRAZER para ambos! Estas duas almas serviram-se dos corpos para se servirem da vida terrena, da vida em que os corpos são tudo e são nada! Os corpos aproximam-se, beijam-se, dilatam, gemem, amam-se e agarram-se… Os corpos agarram-se à vida como se esta terminasse ali mesmo…Como se a vida terminasse no exato momento em que o orgasmo finda a sua função: proporcionar prazer! O prazer tão procurado e tão pouco achado…o prazer que está aqui e ali e ninguém o vê…O prazer que é divino e não deve ser púdico e muito menos rejeitado!

Ninguém nasceu para sofrer! Nascemos para aproveitar a nossa estadia na Terra, para viver cada momento único como se a nossa vida dependesse e se alimentasse do PRAZER! Do prazer que damos e recebemos de outro corpo, de outra alma, de outro ser que nasceu, tal como nós, com uma só missão: proporcionar e obter prazer em partes iguais. Dar e receber a vida, dar e receber o amor, dar e receber o prazer…a harmonia e a química de dois corpos entrelaçados num só! Nascemos para AMAR…e o resultado do amor entre dois corpos é o prazer! Não disséssemos nós…”Prazer em conhecer-te” quando conhecemos alguém. Alguém que nos pode estar destinado, alguém que nos poderá trazer a vida de volta, trazer o prazer na algibeira pronto para nos proporcionar uma vida orgásmica! Por isso aproveita…porque tu só vives uma vez! Prazer em conhecer-te!


PELA WEB

Loading...