Natal


Quero falar-vos de um assunto que há muito queria partilhar convosco. Um assunto que é capaz de nos tirar o fôlego. Um assunto que é capaz de tirar pedaços de nós e que nos faz lavar-nos em lágrimas. Acho que não preciso de vos mencionar qual é o assunto, acho que já perceberam.

Quando faleceu o meu tio, no dia dos meus anos! Quando a minha mãe recebeu aquele telefonema à noite, eu percebi que o tempo não espera por nós. Eu mal conheci o meu tio por circunstâncias da vida, mas a minha Mãe descreveu mo como o seu anjo da guarda. Eu senti a mesma dor que ela. Mas, desde esse dia que eu senti que alguém me andava a proteger, que me tornei a melhor amiga da noite! Da lua!

Quando faleceu a minha avó, no dia da mãe(8 de Dezembro)!!! Estava em casa e a minha mãe ligou me e não me disse nada, mas a voz dela estava diferente. Perguntei-lhe se estava tudo bem e ela respondeu sim. Desliguei a chamada. Fui trabalhar. Estava triste por coisas fúteis da vida enquanto a minha mãe me escondia a morte da mãe dela. Recebi uma chamada do meu irmão, a perguntar se eu já sabia do que se passava. E eu calma disse não, ele disse-me a avó faleceu. O meu telemóvel cai e apresso-me a ir ter com alguém para me socorrer deste dia. E só me perguntava porque a minha mãe não me disse quando me ligou. Só retirei uma conclusão a minha Mãe é a pessoa mais forte deste mundo e quis me proteger desta injustiça que é a vida!!!

Estava poucas vezes com a minha avó por circunstâncias da vida e nunca fui capaz de a visitar ao hospital onde esteve internada. Nunca lhe tratei como uma avó devidamente. Não tive oportunidade de criar grandes laços, de ouvir as histórias da avó. Mas se ela soubesse o quanto eu gostava de ter criado esses laços. A minha mãe sempre tentava juntar-nos, quando estava com a avó, ligava para mim para a avó ouvir a minha voz. E as vezes, a distância entre nós era de alguns metros. Mas, eu achava que iria ter outras oportunidades…

O que quero mostrar-vos com isto é que nós nunca estamos preparados para perder alguém. E evitamos este assunto. Habituamo-nos às mortes de alguém como se fossem banais, como se fossem rotina!!! Habituamo-nos ao choro, ao preto, mas não temos que nos habituar. Nós podemos mudar isto com pequenas coisas da vida. Já alguma vez, deixaste de estar com alguém que gostavas muito porque tinhas teste no dia seguinte? Já alguma vez deixaste de estar com alguém, porque tinhas de ir trabalhar? Agora eu pergunto-te de que serve tudo isso se há um fim? De que serve tudo isso se esse alguém que deixaste de ver por um dia, a deixaste de ver para sempre?

Aproveitem ao máximo a vida com quem realmente amam e nada mas nada é desculpa para não estarem juntos!

Eu sei que é Natal e por isso mesmo vos quero pedir que façam com que todos os dias seja Natal! Que todos os dias sejam para a família! Porque família, é amor! É Natal!