Não podes controlar a minha vida!

Andava a adiar escrever este texto, mas não dá mais… Não queria chegar ao ponto de te dar tanta importância e de escrever só para ti, mas parece que vai mesmo acontecer.
Tu…entraste na minha vida de forma tão estranha e tão ridícula mas a verdade é que me marcaste como ninguém antes tinha feito. Sei que parece estúpido, mas tenho a certeza que cruzamos o olhar, senti algo quando estava contigo, algo diferente.

Naquela noite não sei bem explicar mas eu olhei para ti e senti o teu olhar o mais profundo que alguma vez tinha visto e parecia que estavas a ver me realmente e não apenas a olhar… ou se calhar estavas só pedrado e eu estava a interpretar mal os sinais…

A verdade é que pensava que aquilo que tivemos era apenas uma «cena» e não estava a criar expectativas em poder existir um «nós». Tu tinhas a tua vida e eu tinha a minha, aconteceu o que tinha que acontecer, foi bom conhecer – te mas ia acabar. Mas quando nos separamos o pensamento em ti era constante, eu acordava e lembrava me de ti, durante o dia eu pensava em ti e o quanto foi bom estar contigo, eu deitava me a pensar em ti e sempre à espera de uma mensagem tua, qualquer coisa…

No final de contas foste uma desilusão para mim. A mensagem chegou, mas foi tudo o que mais temia, era a tua atitude, era a tua conversa de mulherengo que me fizeram sentir que eu não passava de mais uma conquista tua. Decidi afastar me de vez e no meu pensamento seria fácil avançar, visto que não ia ser uma semana contigo que me ia fazer andar a bater mal por um “gajo” qualquer.

Na realidade foi mais difícil do que pensava, passei muitas noites mal dormidas e apanhei algumas bebedeiras mas aos poucos foste desaparecendo e já estava a lidar melhor com a situação, posso mesmo dizer que cheguei a um estado de indiferença.

Alguns meses depois tudo mudou …, mandaste mensagem e fizeste renascer tudo de novo! Achas que tens esse direito? Achas que podes mandar mensagem do nada, a perguntar se me lembro de ti? É óbvio que me lembro, quem me dera a mim poder esquecer…

E parece que começou tudo de novo, andava “caidinha” e no fundo feliz, por saberes da minha existência, por acreditar que também sentiste algo mais…


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...