Não pertenço a este lugar…

"Há uma poeira fina sobre os móveis. Sou desleixada. E ainda mais desleixada fiquei depois que ele foi embora. Não bastasse a poeira nos móveis, tenho também poeira no meu coração. Há rosas vermelhas no centro da mesa da sala de estar, poderiam ser lindas, não fosse o facto de eu te-las deixado murchar quando o vi partir."

O portão da garagem abre-se lentamente.

O porteiro acena-me, sorri e diz entre dentes “boa noite”, sei que ele ama-me secretamente.

Coloco o carro na minha vaga.

O elevador demora poucos segundos para chegar ao meu andar. 4º andar.

Coloco a chave na fechadura, rodo a maçaneta, entro devagar e sou atropelada por uma bola de pelos brancos e manchas pretas, que ronrona, mia e enrosca-se nas minhas pernas, freneticamente.

Faço-lhe algumas “festinhas” sobre o pelo macio.

Caminho até à mesa, onde pouso a chave do carro, a mala e o telemóvel.

No chão da cozinha, encontro os restos das contas que ainda tenho para pagar.

Há louça do pequeno almoço sobre a pia.

Há roupa para lavar no cesto de roupa.

Há uma poeira fina sobre os móveis. Sou desleixada. E ainda mais desleixada fiquei depois que ele foi embora. Não bastasse a poeira nos móveis, tenho também poeira no meu coração.

Mas, há também fotografias espalhadas, nossas, com amigos, sozinhos. Sobre os móveis empoeirados, na parede do quarto que já foi nosso.

Há rosas vermelhas no centro da mesa da sala de estar, poderiam ser lindas, não fosse o facto de eu te-las deixado murchar quando o vi partir.

Há livros espalhados por toda a casa.

Há vida. Há dor. Há amor. Há um lar.

E um lar é onde o nosso coração está.

Mas o meu foi embora com ele e a este lugar, eu não pertenço.


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...