Não passamos de furacões

Penso, repenso e torno em pensar
Será que um dia serás capaz de amar?
Será que um dia abres os olhos e vês que te quero a ti…
Será que assumes que também tu me queres a mim…

Exprimo, imagino
Ponho por escrito que quero que sejas meu,
Prometo ser Julieta se tentares ser o Romeu.

Pensas que é facil pra mim, não é.
É dificil e sem brincar
Diz-me como saber, diz-me como lidar
Com esta tua forma estranha de ser, e que tens pra me afastar.

Até entendo, eu até te percebo
Estamos na mesma situação
Só que a nossa maior diferença é eu assumir e tu não.

Bocas e dicas, letras e mensagens mal entregues
Quero saber como és
E tu queres-me, nem negues.
Sei como é, somos todos extremistas
Mas deixa de achar que vens e conquistas.
Porque queres é mulheres e nenhuma sou eu
Vem com o que tens, simplesmente ser meu.

És tipo vicio e tortura que dá cabo de mim,
Alguma força desconhecida que me tira do sério,
Será certo ou errado ou apenas mistério.

Borboletas são raras, ou as agarras ou fogem.
Vais agarrar ou fugir?
Vais ser mais um ou ser homem?
E andamos todos cansados de  relações de ficção
De casos mal começados que acabam com um simples não.
Que são só corpos, são só pura diversão,
Que sabemos lá porquê não chegam ao coração.
E andamos cansados da falta de afeto,
Das noites passadas em claro a olhar para o teto.
Das pessoas, das acções e de tudo o que nos rodeia.
Cansados por fazer e nada resultar…
Cansada de te perder e do nada algo voltar…

Temos uma vida e não a sabemos viver.
Se não estiver contigo aqui, vou estar quando morrer.
Porque o sorriso é meu mas o motivo és tu
E eu sei que só desejas o meu corpo nu.
Só que isso é o que aparentas e não tentas,
Mas queres mais,
Por isso é que te ausentas,
E só tens conversas banais.

Fazes isso sem aviso, vais, voltas e vens.
Assim é demais, tens os meus sentimentos reféns.

Sempre vai ser assim,
Nunca nada vai mudar
Tantas horas, tantos meses e tanto mais pra aproveitar.

Se queres caminho e determinar-te ausente
Liberta-me de ti, sai do meu inconsciente.
Inconsciente racional que te quer em milhões.
Porque podíamos ser paz mas não passamos de furacões.

E essa pica que me controla, me queima mas não me isola
Faz-me pensar como seria, um dia
Se tudo fosse diferente,
Se fosses tu e eu,
Se fossemos só nós e a gente.

A Julieta é guerreira mas não aguenta tudo.
Vem, entra, fecha a porta,
Apaga as luzes, põe-te mudo.

PORMarta, Alentejo
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...