Não me sinto…

Não me canso de dizer, que me sinto a morrer,

Meu coração perdeu o rumo está por um fio-de-prumo.

Não sabe onde se encontrar…

São pedaços da nossa vida que não cicatrizam esta ferida,

Pequenos momentos que desprezo e outros em que rezo

Para não mais sofrer.

Nascer para um novo dia, era o que mais queria,

Desistir de viver no escuro, tentar subir este muro

Que me custa combater.

Pressinto meu chão a ruir, tenho meu mundo a fugir,

Não penso, não sinto, não digo

Como magoa nada puder fazer.

Alcançar a felicidade nada tem a ver com a idade

É somente uma meta que não se segue em linha recta

Mas que se traça em ziguezague.

PORJoana Brito
Partilhar é cuidar!