Não me quero esquecer…

Não me quero esquecer dos domingos de manhã quando caminhavas só para me ver. Sabias quando estava a dormir ou acordada por causa do estore. E esperavas sempre para brincar comigo.

Não me quero esquecer dos jogos de cartas e do dominó. Do quanto te dava gosto estares ali a fazer-me companhia, a fazer-me feliz.

Não me quero esquecer da forma como me chamavas de tua pequenina, quando eu já era quase maior que tu.

Não me quero esquecer do teu humor, do teu amor por todos nós nem do quanto gostavas dos dias em que a família se reunia. Nunca mais nada foi o mesmo sem ti.

Não me quero esquecer de quando ias para a rua ensinar-me a andar de bicicleta e tomar conta de mim enquanto eu brincava.

Não me quero esquecer do teu sorriso, do teu olhar, da forma intensa e incondicional de como gostavas de mim. Não me quero esquecer do teu abraço.. Mas sobretudo não me quero esquecer de ti.

O tempo é cruel e faz-nos esquecer do que não queremos em vez do que queremos. Mas tantas recordações tuas já não consigo lembrar, tantos momentos teus que hoje me contam e fico triste por já não conseguir voltar a esses tempos e recordar tão bem. Também a tua voz, a tua voz que eu queria sempre guardar, também essa parece que já se foi…

Porquê? Quero que estejas sempre comigo, quero ouvir-te chamar por mim com a voz que sempre ouvi, quero poder olhar para os teus olhos e ouvir o teu sorriso e quero que esperes por mim de novo, desta vez para te contar tudo da minha vida, do que se passou desde que foste embora e perguntar se estás orgulhoso de mim e de nós.

Quero dizer-te que tenho saudades tuas e que fazes muita falta. Quero poder ouvir a tua voz a chamar-me de tua pequenina de novo. Quero conseguir ouvir a tua voz, porque acho que já me esqueci.

O tempo é cruel e eu não me quero esquecer. De ti.


RELACIONADOS




PELA WEB

Loading...