Não foi o tempo que me roubou dela, fui eu mesmo que roubei o nosso tempo!

Talvez eu mesmo nem saiba o quanto ela significa, a verdade é que não penso em mais ninguém para além dela, a vida oferece-me tudo, no entanto, eu só preciso dela, não é teimosia minha, é o meu jeito de levar a vida, é a minha forma de viver!

Juro, já tentei seguir a minha vida sem ela, já olhei em frente e procurei a luz, mas tudo está tão escuro sem ela, prometeram-me o sol, a lua, prometeram-me o mundo, mas não aceitei, porque só preciso dela, do seu sorriso, do seu encanto, da sua forma de levar a vida.

É chato tudo isto, vivi a pensar que era para sempre, mas esse sempre que eu e ela falávamos nos momentos de ternura, terminavam nos momentos de aflição e discussão, e pensar agora que tudo podia ter sido diferente, se eu amasse como ela me amava, se eu a tivesse respeitado e compreendido sempre que ela necessitava, eu não estive lá quando ela precisou, eu magoei-a quando ela já estava despedaçada, fui e sou um inútil por não amar quem de verdade me amava!

Não foi o tempo que me roubou dela, fui eu mesmo que roubei o nosso tempo!

PORAndré Oliveira
Partilhar é cuidar!