Não desistas de mim assim!!!

Tudo começou com um “olá”, não fazia ideia quem eras, o que querias de mim, o que querias saber, nem mesmo sabia se o teu verdadeiro nome era esse.

Pensei bem antes de te responder, porque já sofri tanto e não queria voltar a reviver tudo de novo, mas depois de ver algumas fotos tuas, vi algo especial, vi o teu olhar querido, o teu rosto fofinho, lindo mesmo e esse sorriso maroto, foi o que realmente me chamou à atenção…mas voltando ao antes de te responder, eu tive receio de me magoar e não era o que queria, porque a minha ultima relação foi tão complicada, foi tudo tão difícil que eu disse para mim mesma, NÃO , NÃO VAIS SOFRER MAIS POR HOMEM NENHUM! E assim o fiz, passou mais de ano e meio e eu não estive com ninguém, é claro que havia sempre aqueles que tentavam sempre alguma coisa mas eu nunca quis saber, nessa altura dizerem-me um gosto muito de ti ou és uma pessoa horrível era me igual, tinha sido bem vacinada contra palavras fofinhas e coisas lamechas, de tal forma, que já nada me despertava o mínimo interesse e sejamos sinceros eu também não queria voltar a sentir esse interesse.

Até um dia …

Decidi responder ao teu olá passado para ai um os dois dias, mas como és tão esquecido, o mais provável é nem te lembrares. Respondi e começamos a falar, conversas banais, o ola tudo bem, de onde és, que idade tens, fazes o que e bla bla bla aquela conversa inofensiva que nunca magoa ninguém, mas já me tinha magoado a mim e simplesmente eu estar a falar ou não era indiferente, não me dizia nada.

Começaste a insistir, de vários dias sem falar, metias conversa, e eu achava graça a esse teu ar infantil, e à naturalidade que dizias as coisas, sim porque depois de tanta insistência fui quase como obrigada a dar-lhe o meu numero e começamos a falar por chamada…e foi bom, muito bom, aliás ainda hoje quando me ligas sinto um friozinho bom só por te ouvir, e vocês devem estar-se a perguntar: Mas então isso é bom? Sim é muito bom, e quem o sente sabe bem disso.

Depois de alguns meses de conversa, decidi ir ter contigo, tive curiosidade em te conhecer, de saber mais de ti…e lá fui eu, ter o primeiro encontro com o homem que me iria tirar a rocha que tinha no coração, e sim era uma rocha enorme, porque eu realmente não queria mais ninguém…até o conhecer.

Tudo começou no cinema fomos ver um filme de animação, muito bom mesmo, e a partir da 2 parte do filme, agarraste-me a mão e não largaste até ao final do filme, e foi ai que eu percebi que havia ali mais qualquer coisa do que só um gostar como amigo. Foi estranho porque já não gostava de ninguém à muito tempo e a aquela rocha que eu tanto queria começou a partir-se, mas não foi fácil, isso vos garanto.

Aconteceu muita coisa boa, a cada dia que passava sentia-me bem com ele, já começava a sentir saudades de estar junta a ele e o carinho que ele me dava voltou a despertar em mim aquilo que não sentia à muito tempo, e sim estava (e ainda estou) APAIXONADA por ele.

Era tudo tão perfeito que eu até estava a estranhar tanta perfeição, tudo a correr tão bem, nem parecia real, mas era …até um dia. Até um dia que ainda hoje estou para perceber porquê deixaste de ser tão real, como tu dizes “perdes-te o interesse que as coisas no inicio são diferentes e que ao longo do tempo vai se perdendo interesse”… mas como é possível? A pessoa que fez mudar a minha maneira de pensar estar a dizer isto? Como? Sinto que todo o esforço que fiz não serviu de nada, porque pelos vistos tinha conhecido uma pessoa que não existia, não era aquele homem que eu tinha conhecido, como me pude enganar assim?

Comecei a sentir a indiferença dele, para quem me mandava mensagem o dia todo, passou a mandar muito poucas, para quem ligava preocupado sempre que eu não respondia mais de uma hora seguida por qualquer motivo, deixou de se preocupar, deixou de ligar, inclusive chegou a estar quase uma semana sem ligar, e isso quando é uma relação à distância dói, dói muito mesmo… mas mesmo assim eu tenho tido muita paciência, muita calma, mas como todos nós sabemos nada dura para sempre e quando notamos que se calhar a outra parte parece não se interessar ainda mais duro é. Eu sei que não sou perfeita, ninguém é mas até acho que não sou muito exigente como namorada, não peço muito mas peço o possível, o possível de fazer e é coisa que nem isso tens feito e custa-me ver que de um tanto que éramos a pouco e pouco estamo-nos perdendo um do outro, parece que a cada dia que passa, a cada conversa que temos não vale a pena, continuas a fazer sempre o mesmo, mesmo depois de saberes que isso não é favorável para nós…afinal onde anda o homem carinhoso, atencioso, amoroso, fofinho que eu conheci? Parece que ou me enganou e bem ou simplesmente eu sou tão desinteressante que já não quer saber de mim? Não sei o que o pensar, o que fazer, o que dizer sequer, não sei se vais mudar ou se vais continuar a ser o que tens sido até agora, mas nunca te esqueças de uma coisa, nada dura para sempre, e o sentimento esse não o podes desperdiçar assim, não deixes que ele acabe assim, faz alguma coisa, não desistas de mim assim, porque no final de tudo eu ainda TE AMO, nunca te esqueças disso.

PORJoana Costa
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...