Namora Uma Escritora!

Namora uma escritora. Namora uma mulher que nunca usa uma roupa completamente limpa, por causa de uma mancha de café ou de tinta. Uma que vai reclamar sobre a falta de espaço no guarda-roupa, sempre desarrumado. E o portátil dela nunca é tedioso porque sempre haverá um pedaço do ecrã ocupado com palavras soltas ou notas sobre a sua próxima história. Tem por sua vez várias páginas abertas com música atualizada ou aquelas bem antiguinhas que mais ninguém ouve. Sites de cultura e páginas do facebook com algumas frases de autores desconhecidos, pelo menos para ti. Apenas sorri quando ela disser que esqueceu-se de arrumar o quarto, que as roupas estão espalhadas e por isso vai demorar um pouco mais para o encontro porque tal como a roupa, os sapatos estão perdidos algures.

Beija-a sob poste, quando estiver a chover. Explica-lhe a tua definição de amor.

Encontra uma mulher que escreva. Saberás que ela tem senso de humor, simpatia e bondade. Ela é aquela com sombras debaixo dos olhos e que cheira a Candy da Prada e chá de cidreira. Aquela debruçada sobre um caderno qualquer gatafunhado de palavras complicadas. Essa é a escritora. Com os dedos ocasionalmente manchados pela tinta das canetas, a tinta que vai viajar entre as vossas mãos quando entrelaçares os teus dedos nos dela. Ela nunca vai parar de produzir aventuras de maus e heróis. Sombras e luz. Medo e amor. Essa é a escritora. Ela não consegue resistir à urgência de preencher uma página em branco.

Ela é a mulher que lê enquanto bebe chocolate quente naquela padaria que todos conhecem. Ela é aquela menina quieta com os auriculares no volume máximo, separando-vos como um oceano de notas de baixo e guitarra enquanto pensa num mundo diferente. Se olhares para a caneca dela, verás que a bebida já está fria. Ela até esqueceu que estava com sede.

Se ela erguer a cabeça, oferece outro copo. Ela vai pagar-te com histórias. Se ela fechar o portátil, conta-lhe as tuas teorias sobre Hannibal ou como achas que o primeiro filme é insubstituível. Conversa com ela sobre as suas personagens, os seus sonhos, e pergunta-lhe se ela escreveu um livro.

É difícil namorar uma escritora. Mas se paciente com ela. Dá-lhe livros de presente de aniversário, pequenos cadernos de desenhos de Natal ou marcadores de livros e muitos, muitos livros. Dá-lhe o dom da palavra, pois escritores são pessoas que falam muito, e ela será muito agradecida por a escutares. Deixa-a saber que estarás do lado dela quando as linhas da realidade e ficção se confundirem. Ela irá dar-te uma oportunidade.

Não mintas. Ela vai entender a sintaxe por trás da palavras. Ela vai decepcionar-se, mas vai entender. Ela vai entender porque até mesmo o mais justo dos heróis falha, e que finais felizes levam tempo na realidade e na ficção. Ela é realista. Uma escritora não é impaciente: ela vai entender os teus defeitos. Ela vai estimá-los, porque uma escritora entende de enredo. Ela vai entender que finais acontecem para o melhor e para o pior.

Uma escritora não vai esperar perfeição de ti. As narrativas da vida são interessantes por causa dos defeitos das personagens. Ela vai explicar-te que livros bons não tem personagens perfeitos; vilões e as suas tragédias são o sal dos livros. Ela vai entender os teus problemas, porque isso tempera as histórias. Nenhum autor quer um herói invencível; uma escritora vai entender que és apenas humano.

Se encontrares uma mulher que escreve, deixa-a por perto. Vais encontrar a cama vazia às 2 da manha, e vais encontrá-la a digitar furiosamente sob a luz fraca da cozinha. Coloca um cobertor nas costas dela, um copo de água ao lado do portátil e volta à dormir. De vez em quando, vais perdê-la para o mundo imaginário que ela criou. Mas ela voltará, cheia de tesouros.

Ela vai ser a tua Xerazade. Quando sentires medo do escuro, ela vai guiar-te, os teus mundos transformar-se-ao em lanternas e estrelas e velas que vão ajudar-te a passar pelos tempos mais obscuros. Ela vai salvar-te.

Ela é maliciosa, brincalhona, mas também é silenciosa. Quando matar um personagem encantador e parar para respirar, vais notar resquícios de lágrimas nos seus olhos. Simplesmente diz-lhe que tudo ficará bem.

Namora uma escritora porque às 11 da noite, quando ela terminar de escrever as cenas adultas das suas personagens preferidas, ela voltará para a cama. Porque tu és bem mais real do que aqueles que ela escreve. E acredita, ela vai ter milhares de ideias sobre como te fazer implorar.

Tu vais gargalhar quando ela falar 200 palavras por segundo, e o teu coração vai saltar quando ela segurar a tua mão para escrever as vossas histórias românticas em realidades paralelas. Ela é independete e brilhante. Os nomes que ela pretende colocar nos filhos são estranhos e difíceis de dizer em voz alta, mas tu vais concordar mesmo assim. Uma escritora vai contar para os netos as melhores histórias para dormir.

Porque essa é a melhor parte de uma escritora: ela tem imaginação e coragem, e isso vai ser o suficiente. Ela será o teu pássaro de fogo e a tua cavaleira numa armadura brilhante. Porque ela não tem perfil para princesa, ela sabe tomar conta de si, e de um mundo totalmente inventado.

Ela vai ser irritante às vezes, e talvez a odeies. Às vezes, ela vai odiar-te também. Mas uma escritora compreende a natureza humana, e ela entenderá quando fores fraco. Ela não vai-te mandar embora no primeiro momento que as coisas ficarem amargas. Ela entende que a vida real não é como nas histórias, porque enquanto ela trabalha em histórias, ela vive na realidade.

Namora uma mulher que escreve. Porque não há nada melhor do que se apaixonar por uma escritora.