Nada de arrependimentos!!!

Não, não me arrependo de nada do que fiz. Fui feliz, feliz como se calhar nunca tinha sido. Acho que contigo conseguia esquecer completamente de como eu era. Tu davas-me uma certa segurança que mais ninguém dava. Fui bom, não nego que foram dos meses mais felizes da minha vida. Mal sabia eu que depois disso tudo vinha um sofrimento enorme, o que eu fiz para te ter de volta, para ter de volta o meu abrigo, a minha segurança, o meu amor…

Não tenho remorsos porque fiz o que podia e o que não podia, e estou muito contente comigo. Agora tu já esquecido, ou melhor quase esquecido tentas-te voltar e eu como menina ingénua acreditei que tu mudas-te e que merecias outra oportunidade. Que estúpida que fui…

Logo passado uns dias de tu me teres mostrado que não mudaste, eu disse tudo o que sentia e algo mais que precisavas de ouvir, tu desiludiste-me muito, eu depositei imensa esperança em ti da primeira vez. Na segunda nem tanto porque parece que já sabia que me ias desiludir, ainda bem que não houve muito tempo para isso. Foste um inútil. Talvez o pior dos homens que já conheci. Homem não, menino!

Hoje estou melhor do que nunca acho, além de todos os problemas, o amor neste momento é o menor deles. Estou bem sozinha, pela primeira vez sinto-me bem sem estar a receber amor de alguém, sinto-me bem por não ter a necessidade disso.

O amor é algo que ajuda muito em alguns casos, ou melhor em todos, mas eu não preciso, não agora. Não vou estar a desperdiçar o meu amor e o meu tempo, vou precisar dele dentro de alguns anos para dar e nessa altura vou ter muito para dar.

Vou ser mais cuidadosa e menos ingénua, tudo na medida certa. Não vou procurar o amor, ele se quiser que venha até mim. E se existe essa coisa de estarmos “destinados” a alguém esse alguém vai aparecer de alguma maneira, pode já ter aparecido e eu ou ele nem termos reparado, se apareceu estamos a ganhar tempo, tempo em que nos estamos a conhecer, tempo que vamos poupar se simplesmente nos encontrássemos e começássemos algo só porque sentimos algo forte.

Eu não quero ir caçar alguém, eu quero que alguma coisa floresça, eu tenho muito mas mesmo muito tempo pela frente e a pessoa certa eu vou saber quem é no momento errado, na hora errada.

“Ás vezes tens que ser o teu próprio herói.”

Não é que assim seja, assim já é…

PORCélia Pinto
Partilhar é cuidar!