Minha fiel companhia!

Não sei precisar o dia nem a hora em que estivemos juntas pela primeira vez. Não sei ao certo o momento em que passaste a ser aquela que mais companhia me faz ao longo do meu dia a dia. Não sei dizer-te quando me abraçaste pela primeira vez. Só sei que várias circunstâncias da vida fizeram com que te conhecesse. Sei que me deixei levar, que me fui sentindo reconfortada com a tua presença, que passaste a ser a minha melhor amiga, que o meu estado de espírito passou a ser de acordo com a tua presença constante.

Nunca fui influenciada por ninguém, no entanto, por tua causa, fiz e pensei coisas que nunca julguei vir a fazer ou pensar. Sem dúvida que mudaste a minha vida, sem dúvida que, se não te tivesse conhecido, seria uma pessoa diferente da que sou hoje. E vou explicar-te o porquê de eu te dizer isto.

Antes de te conhecer eu era uma pessoa feliz, uma pessoa que sorria todos os dias, uma pessoa querida por todos e carinhosa para com todos, tinha muitos amigos, tinha muitas pessoas que gostavam de mim. Depois de te conhecer bem, passei a ser uma pessoa triste, mais fria, uma pessoa que chorava todos os dias, uma pessoa com muitos conhecidos mas poucos amigos, uma pessoa que já não se importava sequer com a sua vida, muito menos com a dos outros, uma pessoa que adormecia todos os dias com o peso do mundo todo em cima dos ombros e com a cabeça deitada numa almofada encharcada.

Antes de te conhecer, eu gostava de passear, sair de casa, vivenciar o mundo que me rodeava. Depois de te conhecer, passei a gostar apenas de passear entre o meu quarto e a minha cozinha, passei a não sair, passei a querer que o mundo que me rodeava deixasse de existir.

Antes de te conhecer, a maior dor e o maior sofrimento que tive surgiram quando tive de mudar de turma. Depois de te conhecer, tudo passou a ser motivo de dor, tudo passou a trazer sofrimento.

Antes de te conhecer eu era feliz, bolas!, tinha uma boa vida! E depois de entrares na minha vida? Aí passei a fechar-me no meu mundo, a ouvir músicas tristes, a refugiar-me em vícios nada bons, a perder constantemente pessoas que amava, a ver a minha vida boa a desmoronar, a ver tudo e todos a fugir de mim. A única que sempre permaneceu ao meu lado foste tu.

Mas sabes que mais?! Escrevi isto para te esfregar na cara que nunca me senti tão bem por deixar de ter alguém na minha vida como me senti quando deixaste de fazer parte dela! Escrevi isto para perceberes que cheguei à conclusão que viver contigo não tinha que ser uma obrigação. Escrevi para que percebas que foste aquela que menos saudades me deixou, mesmo tendo sido tu quem mais me marcou.

Mas sabes? Apesar de tudo, tenho que te agradecer. Agora, um ano depois de me ter visto livre de ti, um ano depois de encarar os problemas sem a tua ajuda e com a ajuda de quem realmente me quer bem, um ano em que tentei voltar a ser eu mesma, tenho a dizer-te um muito obrigada. Sabes porquê? Porque foi quando me consegui livrar de ti, quando te consegui dizer adeus, quando voltei a querer viver, a querer ser eu mesma, que me apercebi da FORÇA enorme que tenho! Foi graças a ti, à tua presença na minha vida, que aprendi a olhar para o lado e ver quem sorri sem alegria no olhar. Agora posso tentar ajudar essas pessoas, porque sei como elas se sentem e posso usar o meu exemplo para lhes mostrar que não só podem como devem querer livrar-se de ti.

Não preciso de ti para nada! Só trouxeste coisas negativas à minha vida, só me tornaste numa pessoa desprezível. Sei que não se deve odiar ninguém, mas eu a ti odeio com todas as minhas forças e a minha maior alegria era que deixasses de existir! Não só por mim, mas por todas as pessoas que, como eu, te tiveram ou têm na vida delas!

Como é que consegues estar na vida de tantas pessoas ao mesmo tempo? Como é que conseguiste arranjar tantos seguidores em todo o mundo? Como é que consegues manipular tanta gente? Como é que te tornaste na maior epidemia da nossa sociedade? Não sentes remorsos por já teres dificultado ou tirado de vez a vida a tantas pessoas? Não achas que já chega de sofrimento? Terem-te classificado como doença não chegou para perceberes o quão prejudicial és para as pessoas? Vai-te embora, bolas, e deixa-nos viver em paz.

Estimo que te lixes e que nunca voltes a fazer parte da minha vida, cara Depressão! A mim já não me atormentas mais e vou estar sempre aqui para tentar expulsar-te das vidas de quem me rodeia!

Adeus e até nunca mais!

PORA. Q.
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...