Meu amigo imaginário…

Meu amigo imaginário, hoje escrevo a ti…

Amigo imaginário foi o que o meu coração passou a crer depois de partires.

Nunca foste mais do que isso, ajudaste-me à distância mas quando os piores momentos chegaram a terra, partiste em direção ao mar.

Não sou perfeita, estou longe de o ser, mas não me culpo por isso, sei que por ti tentei dar o meu melhor.

Tranquei tudo aquilo que sentia e trilhei os caminhos pedregosos contigo, mas o meu forte não devem ser as caminhadas, tendo em conta que partiste, sem aviso… sem retorno.

Ontem olhei-me no espelho e algo dentro de mim proferiu muito de mansinho: “Já olhaste bem para ti? És um vidro de uma jarra partida e ele merece uma jarra completa!”

Sempre caminhei para junto de ti, caminhei descalça sem me aperceber que a tua vida estava rodeada por estilhaços de todos os acidentes que te provocaram, mesmo assim não desisti, mesmo com os pés dormentes de mais, mesmo com as pétalas de rosa que fluíam dos cortes profundos, eu arrisquei tudo para estar contigo.

Não me arrependo, vivi momentos inesquecíveis e agora deparo-me rodeada de pessoas, mas terrivelmente sozinha.

Volta!

Dói a cada minuto saber que terei de prosseguir sem ti, dói a cada deitar e a cada levantar mentalizar-me que esta é a minha vida e que já não fazes parte dela.

Gostava que tivesses percebido tudo aquilo que eras para esta alma cansada que apenas chora interiormente…

Gostava que ansiasses aquele esperado beijo, que ansiasses tanto quanto estes lábios que todas as noites imploram aos olhos que chorem pelo seu luto.

Gostava que soubesses que sozinhos não somos nada, mas juntos poderíamos ser tanto com tão pouco.

Volta!

Volta meu amor e nunca mais terei que chamar-te de meu amigo imaginário…

PORSofia Sousa
Partilhar é cuidar!