A menina dos meus olhos …

Cedi a todos os seus pedidos mas não adiantou de nada, as incertezas continuavam presentes, e só me restavam duas opções: ou me fazia de esquecido, ou perdia-a. E perde-la é que nem pensar. Porém, no silêncio da noite, as minhas dúvidas gritavam: «Achas bem tê-la deixado ir?»

Hoje é o dia que sei que não, que foi um erro abdicar dela, foi um erro ser tão ingrato para com ela, tão pouco sentimental.

Agora posso dizer que compreendo a dor dela, dava tudo por uma oportunidade, por mais um beijo, por mais um momento com ela, por mais um sorriso, e especialmente, dava tudo para voltar a ser a razão do seu sorriso.

No entanto encontro-me à espera, de um milagre, dirão muitos. E é verdade, espero ansiosamente que ela se decida, que decida ficar comigo, que decida confiar, mesmo depois de todas as vezes que errei com ela, mesmo depois de todo aquele tempo que perdi à procura do que vi nela em outras, mesmo depois do tempo que perdi com quem nunca me soube dar valor.

Sei que ela é capaz de me perdoar, quero excessivamente que ela o faça. Tudo o que ela pedia era um pouco do meu tempo, da minha companhia, do meu amor, e hoje, bem, hoje consigo afirmar que a quero por inteiro, por perto.

Sei que fiz asneira, que podia ser o rapaz mais sortudo no mundo, e enquanto perdia o meu tempo, ela chorava por mim.

Continua por aí, vejo-a por vezes e dá-me vontade de chorar. Eu podia ser o tal. O que ela abraça, o que ela beija, a quem ela conta todos os seus segredos, o que ela ama. Mas não sou pois não soube apreciar a sua presença.

Ainda tento aprender a viver com a sua ausência, mas já não me consigo contentar. Quem já se conheceu por inteiro, não se contenta com metades, e ela completava-me. Dava-me a segurança de que precisava, e podia ter tudo…

De repente, todas as minhas incertezas deram-se por vencidas, e agora que estou seguro para a ter e guardar, ela não está disponível para mim. E eu, eu choro, choro de verdade. Choro porque quase que perdi a menina dos meus olhos, o amor da minha vida.

No outro dia perguntaram-me o que vi nela, e eu não soube responder. Estou seguro de que é isso que acontece quando amamos alguém, nem sequer às perguntas mais básicas sabemos responder.

É por isso que sei que ela ainda me ama, pois sempre que lhe pergunto se está bem, nunca sabe o que me dizer.

PORRachel Stefan
Partilhar é cuidar!