Memórias

Tantas memórias e tantas recordações. Adorava ficar a olhar-te enquanto dormias, acariciar o teu corpo sem nunca te acordar. Sentia uma paz quando estava contigo e a cada dia estava mais apaixonado. Acordava de manhã para ir comprar pão e lembrava-me de cada momento da noite que passou, aquela noite maravilhosa que deixava o teu cheiro no meu corpo como se ele fosse o meu próprio perfume.

Um dia ela saiu para comprar tabaco e nunca mais voltou.

Ela não ficou. Eu precisava dela, tanto quanto preciso do sangue que circula agora nas minhas veias e artérias. Tentei dar o meu melhor, mas para ela acabei por dar o meu pior. Ela conhecia o meu certo e o meu errado. Eu era o caos no meio da paz que ela me dava. Eu apenas pedia amor, ela sempre dizia que me amava. Ela Partiu. Pensei que ia morrer, mas não morri.

Preciso coragem para viver trezentos e sessenta e cinco sois e luas, todos na tua ausência. Preciso coragem para encarar esse vazio com graciosidade. Preciso coragem para voltar a olhar-me ao espelho.

Alguém que me permita falar sobre esse vazio mortífero e me faça ganhar coragem para deixar de te amar, sem odiar todas as ofensas que fizeste ao meu corpo e à minha alma. Alguém que me faça companhia e não me permita deitar na solidão.

Sinto uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijos, quero abraço apertado, quero música, vento, cheiros e sabores, quero começar a receber sem estar sempre a dar. Para mim não existe ponto final, eu não sei terminar histórias, comigo são vírgulas e reticências …tem de haver esperança para o amor ou estou enganado?

Eu gosto, cuido, desculpo, amo, supero, compreendo, caminho sem pontos, sem voltar páginas, sem deixar nada terminar. Dou tudo de mim e aceito o pouco que me oferecem.

Quem me ensina a saber ficar com o pouco e ficar a sentir-me como se tivesse tudo?

O amor sempre foi um erro mal concertado. O amor é incerto. A única certeza que eu tenho: amei-te. Todas as noites imagino como deves estar a dormir, se estás com frio ou calor. Cuidar de ti era o meu sonho e a minha prioridade, era o meu dever. Essa minha memória guarda cada expressão tua. Lembras-te de me teres dito que se um dia os nossos caminhos parassem de cruzar seria o fim do mundo, porque não havia amor como o nosso? Um amor não convencional mas verdadeiro!

Estou a ouvir música, aquela música que odiavas mas ouvias para me fazer feliz, ela descrevia-te na perfeição, mas nunca entendeste o porquê. Hoje não consigo ouvi-la.

O amor chega ao fim e esgota-se, mas o meu tem bateria suficiente para durar a vida inteira, por isso o meu amor será eterno.

Quero esquecer pessoas, coisas e situações que ainda estão pulsantes dentro de mim. Vou esquecer discussões, vou apagar da memória as pessoas erradas que um dia fizeram parte de mim e impediram-me de voar.

Vou esquecer-te podes ter a certeza!