Medo…

É insuportável viver com o coração cheio de medo. Assim eu vivo hoje e por tempo indeterminado. Medo por ti, quem eu coloquei neste mundo e quem mais desejei.

Desejei-te com todas as minhas forças. Agora tenho medo de ser a culpada por te ter colocado num mundo bruto, injusto e cinzento, que não parece tão cedo vir a melhorar. Tenho medo que a tua infância não seja tão doce quanto a minha. Tenho medo de ter medo e não conseguir respirar, pois preciso de ter forças para tratar de ti e não o contrário. Tenho medo que vivas em constante expectativa e não vivas tudo a 100%.

Tenho medo do desconhecido, das coisas ás quais não estou habituada. É normal termos este medo. Só quero viver a nossa vida, ser feliz e acompanhar a tua felicidade, ser parte e também a causa dela. Quero que cresças com as vivências a que tens direito, com os sorrisos a que tens direito, as dúvidas que queiras colocar, os vários amigos com quem evoluir, o desporto que preferires praticar, o estilo que decidires seguir, as brincadeiras que te farão rir, as partilhas que te farão recordar. Com tudo, tudo, tudo aquilo a que tens que ter direito nesta vida, pois não viemos cá para sofrer. Disso eu tenho a certeza. Eu não mereço sofrer, tu não mereces sofrer, ninguém merece sofrer.

Vamos ser felizes.

Bj, SA.