Tenho medo de mim mesmo…

"Tenho medo de mim mesmo... cada voz de cada pessoa apodera-se de mim. Entra, sem pedir, pelas minhas veias. Deixa-me derreado, protelado, magoado. E puxa-me! E incendeia-me!"

Tenho medo de mim mesmo…

Cada voz de cada pessoa apodera-se de mim. Entra, sem pedir, pelas minhas veias.

Deixa-me derreado, protelado, magoado. E puxa-me! E incendeia-me!

Puxa-me para o chão, para o fundo, para o escuro, e retine pelos meus ouvidos.

Viola a minha alma! E o sangue corre, sem hesitar, em mim. Estou perdido!

Estou assustado. Tenho medo de mim mesmo.

Em quem me estou a tornar? Sou o único que duvida de si próprio? O que sou eu?

Quando me olho ao espelho, apenas vejo quem me aleija, quem se ri de mim.

O inimigo está dentro de mim, e não pretende sair.

E diz-me que sou horrível, sou uma aberração. O que era eu morreu?

Quem me dera ser outra pessoa… Quem me dera acreditar no que sou.

Seria mais fácil lutar contigo do que comigo próprio. Serei o meu próprio inimigo?

E sempre que acredito no possível ele mostra-me que estou enganado.

Que sou fraco! E grita-me! Berra-me! E, sem me pedir, vive comigo.

Eu vivo num eco de silêncio. Estou cansado. Repito, estou cansado!

Apenas vem-me salvar! Solta esta voz de mim mesmo,

Diz-me o que mais desejo, e o que mais tenho sonhado.

Eu preciso que me tires do abismo, que este látego acabe!

Não tenhas medo de me amar por completo. Sem ti, perco o meu âmago,

A pureza do meu sentir. Sem ti, perco tudo.

Por isso, não hesites, e anda tirar-me todo o medo que sinto de mim mesmo.