Deixa-me abdicar de ti para que possas desistir de mim.

Está na hora de desistires de mim.

Faz-nos esse favor, desiste de nós, desiste do que nunca chegou a ser e não esperes pelo dia que nunca irá chegar. Não, não estou a desafiar-te nem tão pouco te digo isto para obter o resultado inverso. Não, não quero que lutes por nós, quero que deixes de lutar, simples assim. Não lutes por mim porque eu jamais serei tua, nunca fui e nunca te iludi de tal esperança. Não provoques em ti uma dor desnecessária sustentada por sentimentos que nunca alimentei. Não cobres de mim uma culpa forçada por promessas que nunca te fiz. Cruzaste-te comigo no tempo errado para ti e no momento conveniente para mim. Deixa-me abdicar de ti para que possas desistir de mim.

Desiste de mim porque eu não sirvo para ti.

Sabes-me bem, aqueces-me a alma e enalteces-me o ego mas não posso continuar a ver-te sofrer por alguém que se está completamente a borrifar para ti, simples assim. Não posso permitir que prolongues essa ilusão de que contigo eu posso ser diferente, nem tão pouco deixar que alimentes esse amor que é só teu. Não posso porque em parte me revejo em ti e teria agradecido se tivessem feito o mesmo por mim. Não, não estou a pedir-te para me conquistares nem tão pouco te digo isto para obter o resultado inverso. Não, não quero que me conquistes, quero que deixes de tentar conquistar-me, simples assim.

Deixa de te pores a jeito e desiste de mim.Serve-te de muito eu ter pena de ti, serve-me de muito seres solidário com a minha dor. Serve-nos de muito tolerarmo-nos por condescendência, serve-nos de nada tanta esperança para tão pouco sentimento. Não, não tentes salvar-me porque eu nunca pedi para ser salva, nem tão pouco te digo isto para obter o resultado inverso. Eu não preciso de ser salva, simples assim. Aceita que foste só mais um para mim e contenta-te que não és só mais um como eles.

Deixa-me abdicar de ti para que possas desistir de mim.