Madrugadas…

É madrugada e eu estou acordada, a imaginar-te aqui comigo. Que estúpida! Deveria estar embriagada na noite, como fiz tantas outras vezes para me tentar esquecer da tua existência e do vazio que em mim deixaste.

Decidi ser racional hoje. Decidi aceitar que tudo tem um fim, embora o nosso não tivesse sido o mais correto da tua parte. Então hoje, ao fim de algum tempo, a lucidez bate-me à porta do quarto e as lágrimas começam a escorrer pelo meu rosto. Tento limpá-las e dizer a mim mesma que está tudo bem, mas algo me impede. És tu.

Tu só partiste alguns quilómetros, mas a tua pessoa ficou. A dor aperta, sinto uma vontade imensa de te enviar aquela mensagem de boa noite mas estou lúcida o suficiente para saber que se o fizer vou perder esta batalha e eu não quero. Então continuo apenas a mostrar a estas quatro paredes a dor que me transborda.

Onde andas tu? Como estás tu? Quem é a menina que caiu desta vez?

São meras perguntas que me impedem de dormir todas as noites. Mas sabes, a tua ausência ensinou-me tanto… Ensinou-me que sou bem mais forte do que antes pensava, mostrou-me que a vida é feita de consequências provenientes das nossas escolhas, ajudou-me a perceber que eu sou alguém, mesmo sem ti!

Tamanha estupidez a minha neste momento! Lembrar quem me abandonou tão facilmente como quem atira um papel para o chão. Lembrar quem não me procurou mais, a não ser por interesse… Ainda bem que continuo lúcida para simplesmente ir dormir e deixar os pesadelos do passado no sítio deles! Obrigada, por tudo, pelo teu carinho e por me teres abandonado de seguida. Obrigada por abrires caminho para quem realmente me valoriza. Estou aqui, e vou continuar, onde me deixaste, para que possas ver em prática a lei do retorno! Boa noite ex-amor!

PORM J
Partilhar é cuidar!