Loucura que me arrasa os sentidos.


Loucura que me arrasa os sentidos…
Demência que acelera a adrenalina..
Literatura erótica, a quanto obrigas!!!

Obrigas-me a usar e abusar das experiências para te saborear até ao tutano!
E quando não existem experiências, existe a imaginação… e com essa posso “brincar” até às tantas da madrugada…

Uso e abuso da imaginação.
Imagino-me numa noite onde os bares e discotecas se encontram lotados de gente e quando me encontro no meio dessa multidão, de copo na mão, a música nas alturas a entoar nos meus ouvidos imagino milhares de coisas…

Imagino os sentidos a ter atitudes próprias. Imagino o extremo de todas as situações e a consciência a agir involuntariamente.

Apetece descrever e escrever o que me apetece como uma louca. Mas o que me apetece mesmo é ter atitudes como uma insana, apetece-me ter uma atitude de “último dia da minha vida”, apetece-me sugar a vida, descarna-la, desembrulha-la e agarrar-me a ela sem nunca mais a largar.

E depois de ter a vida nos meus braços fazer com ela o que a minha mente me transmite, fazer o limite e aproveitar-me dos limites para os ultrapassar, hoje apetece-me viver até à última gota, apetece-me aproveitar a vida da ponta dos cabelos até à ponta dos dedos dos pés, apetece-me ser eu sem máscaras e viver, viver, viver até rasgar as “entranhas” da vida…

RECOMENDAMOS