Justiça Agora!

Monstro, demónio, criatura, cobarde, aberração da natureza são alguns dos nomes que me passam pela cabeça para identificar o autor daquele crime.

Como é que um pai pode fazer aquilo a um filho? Pode ele ser chamado de pai? Penso que não.

Porque pai não é aquele que faz um filho, pai é quem ama, é quem protege, é quem cuida, pai é aquele que dá a sua própria vida em troca da vida de um filho!

Aquele monstro não pode nem deve ser chamado de pai!

Como é que há pessoas tão más, tão ruins?

Como é que ele conseguiu fazer aquilo?

Como é que ele nem por um segundo teve um acto de compaixão, de pena, de amor ou de ou arrependimento?

Como é que alguém tem coragem de fazer um crime tão macabro, tão horrível como espetar uma faca no seu próprio filho, deixá-lo sozinho a sofrer, a agonizar até aos últimos segundos de vida, ter coragem de ainda o filmar naquele estado e ser capaz de enviar esse mesmo vídeo a mãe do menino e sair para a rua como se nada fosse? Como é que alguém consegue destruir tantas vidas sem ter um único acto de arrependimento?

Não entendo, não compreendo, não percebo e não quero entender! Não dá para entender, nem muito menos para explicar!

Essa criatura nem pode ser chamado de animal, pois isso seria outro crime, pois nem os animais que são animais assassinam as crias.

Entretanto foi ouvido e ficou em prisão preventiva, depois disto eu pergunto-me se há justiça neste país, pois esta criatura não errou, cometeu este crime macabro porque quis, ninguém o obrigou a nada, ele sabia e tinha a consciência do que estava a fazer.

Este foi o crime mais horrendo, monstruoso e cruel que eu alguma vez conheci! E agora dizem-me prisão preventiva? Como é possível? Devem estar a brincar!

Andam milhares de pessoas a pagar impostos e mais impostos para este criminoso depois de todo o mal que fez estar protegido da população mas ter direito a “boa vida” com tudo do melhor na prisão!?

Esse monstro não merece absolutamente nada, nem ao ar que respira, nem ao direito a vida. Não merece piedade, respeito nem a pena de ninguém, a única coisa que ele merece é a morte, uma morte bem lenta e muito dolorosa!

Ontem foi o Henrique, hoje foi a Maria, na semana passada passada foi o Paulo, amanhã ainda não se sabe, mas neste mês já morreram muitas  a guarda de pais, mães e famílias desnaturadas.

Hoje pergunto-me quantos mais anjinhos e crianças vão ter de morrer para que algum dia se faça justiça?

Espero que mais nenhuma!

Todas as crianças têm direito a vida,a terem uma infância e a crescerem  felizes!

Pelo Henrique e por todas as crianças que já morreram que se faça justiça já!

PORJoana G.Torres
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...