Já podes sair!

Querido passado,

já viste o que fizeste? Já viste com olhos de ver? Não me parece. Realmente és um passado muito egoísta, só pensaste em ti, já viste? Foste egoísta, fútil e um bocado macabro até. Já viste que agora, mesmo depois destes anos e mesmo não sendo mais presente, tu ainda fazes reboliço por estas zonas? És triste triste! Não te contentas já com o que passou? Raios parta parece que não!

Já está na hora de pegares na tua malinha e andares, juro que já tentei meter-te as malas à porta mas tu sabes bem que não consigo, devias ir por vontade própria estás a ver? Tipo pegas nas tuas coisinhas, arrumas e abalas, ponto! Como um passado normal faria. Mas tu fazes despropósito para ser diferente, não é? Ficas e ainda abusas do meu amor por ti e da minha ingenuidade. Que ridículo.

Acredita que andei já imenso tempo a apaparicar-te os mini golpes que ias aplicando, demasiado tempo a desculpar-te e a conformar-me com uma mentira que achava que era verdade das mais puras.

Sim, sim fiquei tanto um quanto devastada mas sabes que mais, já abri os olhos. Vi que foste matreiro e que me deste a volta na perfeição. Agora, poupei-te tempo de explicares fosse o que fosse, já assimilei tudo sozinha, obrigada!

Já podes sair.