Já perdi conta às vezes que te vi renascer …

Não te vi nascer…mas já perdi a conta às vezes que te vi renascer.

Não te vi nascer é certo. Nasceste depois de mim, uns meses. Não importa. Viemos ao mundo no mesmo ano, mas só cruzámos a vida muitos anos mais tarde. Não te vi nascer, nem sequer começar a andar, mas sinto que te conheço melhor que ninguém. Chego a duvidar se há algo em que não seja capaz de me pronunciar sobre ti. Não que te saiba de cor, mas a tua linguagem é a minha também. Somos de famílias diferentes, cujo o sangue tem códigos diferentes, mas chamo-te irmã, sem questionar esses pormenores. E por te ver assim decidi dizer-te o quanto estou orgulhosa de ti.

A tua vida não tem sido fácil. Lutas diariamente por todos os teus objetivos, tentando estar dentro das expetativas do mundo inteiro. Nem sempre consegues, não és a única. Todos  nós falhamos. Todos nós choramos e desistimos de vez em quando. Mas sabes o que me deixa orgulhosa? Sempre que te deixas ir abaixo, renasces ainda mais forte e pronta a dar tudo. Pões o teu máximo no mínimo que fazes. O teu empenho e a tua dedicação, se fossem premiados, seriam maximamente premiados, mas tu já és uma estrela, pelo menos no meu mundo. És um exemplo de vida para mim e vais sempre ser.

Tenho o maior orgulho em dividir a vida contigo e em poder ver-te fazer das cinzas, sorrisos e força para continuar a levar esta vida, por vezes ingrata, para a frente. Desejo-te tudo do melhor. Mereces ser umas das pessoas mais felizes de sempre. Conta comigo, incondicionalmente. Sabes que se há certeza que podes ter no mundo é que te amo e que vou estar sempre aqui para ti.

Que o tempo nos deixe viver toda a parvoíce que temos dentro de nós e de preferência juntas, pois sem ti, o mundo não teria graça nenhuma. A tua irmã.