Houve várias intenções até…

Não te vou dizer que nunca houve segundas intenções, não te vou enganar com conversas de “mimimi”.

Para ser honesta contigo, e para comigo mesma, se considerarmos aqueles abraços como uma forma de mostrar que o mundo era pequeno comparado com o amor que cabia dentro do nosso abraço, então sempre houve intenções.

Segundas, terceiras. Tantas.

Houve tantos pensamentos em te agarrar e não te soltar nunca, mas eles vinham e eu mandava-os embora.

E nem quero contar quantas vezes eu vi no teu sorriso a primeira imagem quando acordasse e a última antes de dormir.
Se calhar houve segundas intenções em tudo, mas como estamos numa de ser honestos, nunca pensei muito nisso, nunca quis pensar muito nisso.

O gosto de estar contigo era confirmado por seres amigo e nada mais.

Mas o tempo foi passado, fomos crescendo e as intenções aumentaram.

Se dizer-te que te amo me transporta para outro lugar onde só existe eu e tu então tenho intenções contigo.

Tenho todas as intenções que possas imaginar.

Intenções de te fazer amar por uns minutos, quem sabe prolongar isso por umas horas, semanas…e quando dermos conta já passaram uns bons anos. E depois chegar ao momento em que dizemos “para sempre”.

Tenho todas as intenções do mundo quando olho para ti e digo com um simples olhar que te quero.

E o engraçado é que tu dizes o mesmo. Vamos esquecer o mundo e pôr as segundas intenções em prática, vamos?! ?


PELA WEB

Loading...