Hoje parece-me cedo demais, amanhã pode ser tarde!

Já todos sabemos que a vida é curta. Que são dois dias e um já vai na conta. A mesma coisa do costume… E levar isto a sério?  É tempo de dar valor ao que sentimos, a nós próprios, aos nossos ideais… Ao que sentimos e que não exteriorizarmos. Chega de brincadeiras! Vamos acabar com o jogo do rato e do gato! Se gostas, assume. Se queres, pede. Se precisas, diz!

Achas que há mesmo tempo para discutir se o azul é ciano ou celeste? É azul! Vamos unir-nos nesta onda de sentimentos e deixá-la tornar-se um tsunami; e depois de se tornar tsunami vamos deixar que destrua todos os bloqueios que nos prendem ao ontem. Esse já não interessa. Como cada segundo que acaba de passar também não. Já não se pode mudar nada, pois não?! Então porque esperamos?

A vida é mesmo curta demais para nos arrependermos do que não fizemos, não dissemos ou não escolhemos. Quando olharmos para trás vai ser tarde.

E quando dermos por nós, estamos agarrados às lágrimas dos “e se eu”! “E se eu”… nada! Tu devias era ter aberto os olhos e seguido caminho. E se tu mostrares a ti próprio que consegues fazer isso? Está na hora então!

Não há momentos certos: há pessoas que fazem os momentos serem os certos! E essas pessoas custa cativar para que estejam sempre ao nosso lado. E se custa, vamos batalhar. Por isso arrisca, chama, grita, corre, faz… arrepende-te! Mas arrepende-te por viver, não por teres idealizado ter vivido.

Ainda não estás convencido? Então? Começa por tomar as decisões certas. Para isso precisas de pensar bem no assunto. Depois rodeia-te de quem gostas ou vale a pena. Luta. Mas luta a sério! E apressa-te! Hoje parece-me cedo demais, mas vais ver que amanhã pode ser tarde!