Hoje lembrei-me de ti amor…

Desculpa amor, tenho andado tão embrenhada na vida que não dei por teres ido embora mas hoje lembrei-me de ti. Desculpa, tenho andado tão desiludida de amores que acabei por deixar-te passar mas hoje, hoje lembrei-me de ti. Juro que não foi por mal…eu queria-te tanto, desejei-te tanto por tanto tempo que quando te tive não percebi que eras tu amor. Confundi-te com os outros amores que fingiram seres tu antes de ti. Não dei importância às tuas palavras que noutros tempos também foram as deles. Negligenciei o teu amor porque achei que eras só mais um como eles. Em minha defesa, vocês eram tão parecidos, as promessas eram as mesmas e cheguei a um ponto em que deixei de ignorar a possibilidade de um amor ser só mais um amor, de palavras de amor seres só palavras forçadas do momento, de um momento ser só um momento que dura enquanto a nossa memória permitir e a vontade de o alimentar existir.

Hoje lembrei-me de ti e de nenhum deles. Lembrei-me da euforia do nosso primeiro olhar, do sabor do nosso primeiro beijo e como foi difícil perceber que também tu não tinhas ficado. Como era bom sentir-te em mim, soubeste-me a pouco, lembro-me bem…Teria sido tão mais fácil ter-me deixado levar, tão mais heróico se eu tivesse agarrado aquela ínfima oportunidade de essa vez poder ser diferente. Mas sabes amor, ao contrário do que dizem ninguém fica mais forte a cada desilusão, pelo contrário, ficamos todos mais fracos, mais cobardes e cada vez se torna mais difícil correr o risco de nos apaixonarmos e permitirmo-nos ser felizes nem que seja só e somente por um momento. Ganhamos medo de querer, a dúvida passa a acompanhar-nos e a insegurança instala-se e apodera-se de nós.

Desculpa por não ter percebido que dessa vez era mesmo diferente mas tornei-me uma cobarde como tantos que por aí andam e por momentos também eu desisti de amar. O meu coração cansado de lutar entregou-se à frieza de um coração quebrado, dobrado e mal-amado. A minha mente manipulou a minha razão e deixou-me alheia a qualquer amor. Eu acreditei por momentos que já sabia exactamente com o que contar a cada amor recém-chegado. A minha convicção de que nunca valeria a pena o risco era perturbadamente mais reconfortante que a vontade de ser feliz. A perfeita noção do quanto iria doer mais uma desilusão segredava-me ao ouvido em cada rasgo de esperança, em cada raio de promessa de amor.

Hoje lembrei-me de ti porque hoje quando me beijaste tudo voltou, todas as minhas lembranças de ti voltaram e com elas voltou também a minha coragem para amar.. Hoje lembrei-me porque já não me lembro de todos os outros, lembrei-me porque nunca mais deixei o amor aproximar-se, lembrei-me como só o teu amor me continua a dar vontade de correr o risco de me apaixonar. Sim, até podia ter desistido do amor se não existisses, mas existes.