Haja saudade…

Eu não me importo com a distância porque eu sei que tu moras em mim o tempo todo. Mas há dias, aqueles frios e sem rumo, que eu sinto falta da tua presença, sinto falta dos teus receios e da tua palavra.

E fico assim, a pensar que nada é justo e que vivo na injuria de uma complicação. Não entendo o porquê de ser eu a não estar a teu lado, no meio de tantas palavras soltas, ser eu a dona do teu coração e estar na estrada ao lado da tua.

Eu não corro atrás de pesadelos, sigo os sonhos e destruo a saudade efémera e fugaz. Estou cansada de medos, de ficar acordada à espera de um sinal do além, de inseguranças patentes na nossa vida a dois.

Tu tens-me como garantida e eu quero-te como tal, mal ou bem, és a lua e o sol num só. Tenho-te como herói das forças da Natureza, real ou imaginário, és tu.