Há coisas que mudam como o teu amor…

Há coisas que mudam como o teu amor, o teu carinho, o teu olhar em que me apreciavas, as tuas atitudes que tinhas comigo, os cuidados que tinhas em antes de te deitares, que me mandavas a tal mensagem que eu tanto desejava ler ao acordar!

Mas hoje o que me magoa mais é saber tudo o que mudou não vai voltar a ser o que era, por muitos textos que te faça por muitos pedidos de desculpas que eu peça, por muito que te diga que todas as noites a minha rotina é: Deitar na cama, pegar no telemóvel, reler as conversas que tínhamos, onde falavas que me amavas do tamanho do mundo e chorar, chorar, chorar, chorar, chorar e chorar, até que a dor se instale no meu coração e venha o analgésico para acalmar o chamado sono!

Há tanta coisa sem explicação Ricardo, como o porquê do pôr-do-sol ser tão lindo como nós os dois de mãos dadas, como não se conseguir ver o limite do céu como o meu amor por ti, como não se consegue ouvir os sonhos perdidos de pessoas que pedem a Deus para se concretizar tal como o meu desejo “que um dia ainda voltes para mim”!

Dizem que sou nova para falar de amor, mas eu sou advogada do ditado ‘’ o amor não escolhe idades’’ porque senão fosse amor o que sinto por ti eu não imaginava planos impossíveis para nós os dois, eu não sentia a vontade de um dia poder dizer te nos olhos ‘sim eu aceito’, nem coração magoado, não haveria desejo nem medo de um dia alguém ocupar o lugar. Ás vezes dou por mim a perguntar me se há coisa melhor na minha vida do que acordar ao teu lado, e a minha resposta é não haveria forma melhor do que acordar com ele com aquele ar de ensonado que lindo deves ficar. Mas há melhor definição de preguiça do que acordar ao lado meu 1º amor da minha vida?

E aquela tua voz de acordar que deve ser tão fofa e linda, como eu queria que fosse a melodia de música de todas as minhas manhãs!

Tenho medo de esquecer o castanho dos teus olhos, o tom da tua voz, os traços da tua cara, o teu corte de cabelo, o jeito de olhar, a forma dos teus lábios, o sabor deles, o branco dos teus dentes, do teu jeito de fazer amor, medo que as lembranças que tenho de ti um dia se apaguem! Eu não quero desistir do meu 1º amor, eu sei que as relações devem ser reconstruídas e não trocadas.

Como era tão bom quando me ias buscar ao estágio ou a minha casa e eu chegava ao carro e me pedias um abraço, era como sem dizeres uma única palavra em um só olhar estava escrito ‘nunca me largues e fica comigo’!

Porque é que hoje não esqueces a vontade de dormir e descansar e vens ter comigo e vamos fazer amor até as tantas da noite? Deixa a mágoa de lado e vamos namorar à luz das estrelas deitados na areia da praia mais perto! Deixa o obrigatório, as regras e orgulho de lado! Porque não vamos dançar ao som do errado e da saudade? Não é fácil soltar um sorriso e saber que não vou partilhar a minha alegria contigo! Não é fácil para mim a lágrima que me cai não ser seca por ti. Porque tu eras o farol que me guiava para sair do caminho da solidão e da escuridão para onde eu caminhava!

Será que quando dizes a ti próprio “o meu amor por ela morreu” não estará a apenas adormecido e camuflado pela mágoa que tens por mim?

Andei estes dias à procura de inspiração para escrever, mas percebi que hoje não se trata de inspiração mas sim com necessidade de mostrar ao mundo o quanto estou destruída por dentro!

Hoje estou sentido mais a tua falta do que o costume, sei que quando voltar a dizer amo-te alguém ele não será igual ao que te disse, nem o ‘eu também’ terá o mesmo impacto que o teu teve!

É a primeira vez que isto me acontece, de sentir calores frios ao falar com alguém, sentir borboletas a voar pela minha barriga, é a minha primeira vez que estou amar!

Sinto que cada dia que passa tu voas mais alto de maneira que eu já não consiga apanhar o teu ritmo, mas espero que o meu próximo salto alcance a tua asa e tu faças questão de eu voar contigo entre as nuvens a dentro!

PORFilipa Soares
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...