Fui Apenas Uma Vitima…

Um dia apaixonei-me por ti, foste o meu primeiro grande amor.

Mas qual mulher não se apaixonaria por esse teu sorriso? Por essa tua personalidade forte? Por esses olhos escuros capazes de nos decifrar a alma? Qual mulher não se apaixonaria ao encontrar em ti um porto seguro? Qual mulher não se apaixonaria ao ser embalada nesses teus braços fortes e protegida por essas tuas mãos calejadas?

Encontrei nesse teu sorriso mil motivos para o meu. Encontrei na tua personalidade, a força que desejava para mim. Encontrei em ti o porto seguro para me agarrar em meio às ondas revoltadas da vida. Encontrei no embalo dos teus braços e na proteção das tuas mãos, tudo o que uma mulher deseja encontrar no seu homem.

Encontrei no teu ser, o modelo de homem que qualquer mãe desejaria para a sua filha.

Encontrei em ti, tudo o que de mais belo poderia ser encontrado em alguém.

Encontrei o amor da minha vida, mas descobri que amei sozinha, quando as tuas palavras nao se adequavam aos teus atos. Quando a tua boca maltratava-me e humilhava-me. Quando os teus olhos se enchiam de raiva e as tuas mãos tocavam o meu corpo. Quando a tua voz ecoava na casa, arrepiando a minha espinha e causando-me tremores. Quando o meu corpo sentia medo de estar perto do teu.

As noites deixaram de ser noites, pois os meus olhos não se fechavam quando pensavam que esta seria só mais uma noite em que levantarias a mão para me magoar.

Os dias foram ficando tristes, o sorriso foi-se perdendo.

A casa que costumava ser o lar do nosso amor, tornou-se um campo de batalha, quando o meu corpo era atirado contra as paredes brancas e as tuas mãos se enrolavam no meu pescoço numa tentativa de colocar um ponto final. Talvez a nós, talvez ao amor, talvez à minha vida.

Mas eu amava-te, amava-te incondicionalmente. De meu herói tornaste-te o meu maior medo, mas ainda assim eu queria ter-te por perto, mesmo quando me empurravas e gritavas que tinhas nojo de mim.

Não sei porque permaneci tanto tempo calada e fechada nesta casa, manchada pela violência com que me tratavas.

Não sei porque permaneci tanto tempo sob as regras desse teu jogo de amor doentio.

Fui apenas uma vitima dessas tuas ameaças violentas, das tuas promessas vazias.

Fui apenas uma vitima que escutava todas as manhãs a mesma frase “prometo que vou mudar”.

Fui apenas uma vitima que deitava na cama para dormir e era acordada aos gritos, com copos a partir e agarrada no braço com uma força transcendente.

Fui apenas uma vitima que amou incondicionalmente e se escondeu, porque era humilhante admitir que amava alguém assim.

Sentia vergonha de mim, de falar das minhas angústias, de contar aos que me amam que eras o meu medo, porque um dia apaixonei-me por ti e hoje não te reconheço mais.

Fui apenas uma vitima da tua violência, como o são outras mulheres, e dou a minha voz por elas.

Tenho marcas no corpo e na alma, tenho-te nas minhas cicatrizes, como um lembrete de toda a dor que me causaste e da morte à qual consegui fugir.

Talvez um dia, eu seja capaz de te perdoar, mas hoje é apenas um dia em que sem ti, finalmente me sinto mulher, finalmente estou liberta.

PORLetícia Brito
Partilhar é cuidar!