Foste o maior erro da minha vida…

Hoje digo com firmeza que foste o maior erro da minha vida, não porque não te ame, não porque deixei de gostar de ti, antes pelo contrário, foste o maior erro da minha vida porque me deixei iludir. Não consegui olhar para ti com os olhos de alguém maduro e experiente, olhei para tu com os olhos de um homem apaixonado e que via em ti a imagem de uma mulher de sonho. Por mais que me tenham avisado, por mais que me tenham dito como tu eras, inclusive pessoas directamente ligadas a ti, eu estava apaixonado, eu amava-te de verdade.

As mentiras foram surgindo a pouco e pouco, eu fui olhando para o lado e nunca quis ver a realidade como ela é, tu não eras nada do que eu imaginei, tu és e serás sempre como és, não te posso criticar por isso, quem esteve mal fui eu, quem idealizou alguém irreal fui eu. Não se pode mudar a nossa natureza e tu és por natureza assim, gostas de te exibir, gostas de te mostrar, gostas de ser o centro das atenções, sabes como és e sentes o quanto mexes com os homens.

Não está na tua natureza ficar com algum, ser fiel para ti é um conceito muito abrangente, respeito é algo que pode ter várias interpretações no teu dicionário, és o que na brincadeira sempre disseste ser, fútil. Mas mais uma vez a culpa foi minha, fui eu que não tive coragem de colocar um ponto final na primeira vez que deixaste que a tua natureza saísse do buraco que a tentaste esconder, fui eu que acreditei que era para sempre, fui eu que fechei os olhos a realidade e acreditei no amor.

O amor que dizias sentir por mim, na realidade não passava de necessidade de atenção, atenção de alguém que por ter sido usada como foste anteriormente, necessitava de se sentir amada, apreciada, necessitavas que te fizessem subir novamente o ego, e eu fui a vitima ideal, pois eu desde cedo te disse que acreditava no amor, desde cedo te demonstrei o que é o respeito por uma mulher, desde cedo te demonstrei e te fiz aos poucos voltares a gostar de ti.

Mas como diz o ditado, mais cedo ou mais tarde tudo vêm ao de cima e tu não aguentaste mais esconder a tua natureza, aos poucos foste libertando a tua real personalidade, aquela que tantos me disseram que tu eras (e eu nunca quis ver) veio aos poucos ao de cima, culminando numa das maiores desilusões da minha vida.

Hoje, olho para trás e vejo o quanto fui estúpido (sim, estúpido, ainda te lembras que é a coisa que mais me irrita ser?), estava tudo lá, tu sempre deste sinais de como eras, eu é que fechei sempre os olhos aos teus sinais, aos sinais que as pessoas mais próximas de ti me tentavam dar, aos sinais que hoje para mim são evidentes, mas que o verdadeiro amor que sentia por ti não me deixavam ver.

Tenho pena de ti, porque vais de certeza destruir muitos mais corações pela tua vida fora, mas vai chegar o dia em que o “caçador vira caça” e vais voltar a ser usada, vais voltar a ficar em baixo e nessa altura poderá já ser tarde demais para ti, poderás já não conseguir enganar mais nenhum tolo como eu.

Sim estou a sofrer, não porque já não te tenho, não porque me sinto só, estou a sofrer porque acreditei no amor e mais uma vez o amor não acreditou em mim.

Foste o maior erro da minha vida, coloquei nas tuas mãos o comando do meu coração e tu não tomaste conta, dizias que me amavas, mas amar não são só palavras, amar não é só dizer “amo-te” 50 vezes por dia, amar são mais do que palavras, amar são gestos, é respeito, é dedicação, é mudar para não magoar, é viver com o outro e não em função do outro ser, amar é sentir que se esta completo ao lado da outra pessoa, e tu NUNCA te sentiste completa a meu lado, por isso tinhas as atitudes que tinhas. Será que alguma vez te vais sentir completa ao lado de alguém? Ou serás como muitos seres parasitas que apenas tirar o máximo proveito da vitima e quando já não há mais nada para sugar, procuram outro alvo?

Foste o maior erro da minha vida, mas felizmente consegui sair a tempo da rede que montaste, felizmente abri os olhos para a tua realidade e assim que o fiz tu mudaste de atitude, deixaste de ter argumentos que me dessem a volta, deixaste de ser coerente, deixaste de me conseguir iludir e o que eu sempre disse, aconteceu… apesar de eu não querer acreditar, de eu ter sempre pensado que me amavas de verdade, tu apenas me usaste até te dar jeito, depois tornei-me uma pedra no teu sapato que te estava a incomodar.

Foste o maior erro da minha vida, e será para sempre recordada, mas não te irei desejar nenhum mal, antes pelo contrário, espero mesmo que um dia abras os olhos, faças uma retrospectiva sobre o que és e em quem te estas a tornar e pensa se era isso que imaginavas para ti, se era isso que a tua avó desejou para ti, se é essa mulher fútil que queres ser, se queres ser apenas mais uma no meio de tantas ou se queres realmente ser aquela mulher que me falavas e que dizias querer ser. Espero que consigas mesmo um dia ter esse click e te tornes mulher de verdade, respeitada, respeitando, amada e amando de verdade, sem mentiras, sem subterfúgios, sem “desculpas”, sem “pontos de vista” que mudam consoante a tua necessidade de desculpar algo. Espero que sim, e que nessa altura consigas ser feliz pelo que és e não pela imagem que tens.

Hoje acreditas no que te “vendem” as pessoas que tu tanto criticavas, que tão mal falavas, mas agora são as melhores pessoas do mundo, porque afinal de contas, tu és como elas, apenas viveste uns tempos numa outra realidade, numa realidade em que o respeito e o amor de verdade eram mais importantes do que a futilidade e a imagem.

Eu irei seguir a minha vida, talvez um dia aconteça de verdade, tudo aquilo que me passa na mente antes de adormecer, talvez um dia seja feliz de verdade, com alguém de verdade a meu lado e não com uma mulher irreal. Somos donos dos nossos actos, mas não somos donos dos nossos sentimentos. Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos. Sinto-me culpado pelo que fiz, mas não pelo o que senti, pois o que senti por ti foi do mais bonito que alguma vez senti, pena que não o tenhas sentido também.

Não vale a pena correr atrás de quem nunca quis ficar….

PORAnónimoPN
Partilhar é cuidar!