O fim de um amor eterno!

Todas as noites, os meus pensamentos levam-me a ti, levam-me a percorrer as curvas do teu corpo, a encontrar o mistério dos teus olhos esverdeados e dos teus eternos beijos que se acabaram em mim.

Tive sempre medo de te perder ignorando sempre o fim de um verdadeiro amor, amor que prometemos ao nosso quarto de luz apagada, que prometemos à hora do jantar e à água quente do chuveiro. Prometemos amor em todas as divisões, em todos os momentos mais (ou menos) apetecíveis e irresistíveis, prometemos amor em tudo… menos ao tempo.

Esqueci-me de te abraçar naquela manhã e deixei de te abraçar em todas as manhãs, caí na realidade de um amor completamente esquecido em que todas as divisões omitiram a necessidade de nos querer, em que todas as divisões nos deixaram de amar.

És apenas como um sonho que acabou na eternidade das minhas noites, sendo eu a sombra de todo o amor que é incessante e tu a luz que me fez desaparecer.

Vamos voltar no tempo e prometer-lhe um tempo infinitamente temporário. Dá-me um pouco de nós, ainda não é tarde e obstino-te a cada momento que te procuro.

Porque se isto passar de um sonho acorda-me, por favor, e diz que o amor ainda nos pertence.

(…)

E ela disse, mas não o acordou.

PORMariana F.
Partilhar é cuidar!