Fazer humor no mundo pós-“Charlie Hebdo”?

Eis as regras para fazer humor, após os trágicos acontecimentos da redacção do Charlie Hebdo.

#1 – Não fazer humor sobre muçulmanos, não vá um deles ser extremista e com acesso a metralhadoras.

#2 – Não fazer humor sobre a Igreja Católica, para não ofender os supostos 90% da população Portuguesa que acreditam n’Ele.

#3 – Pronto, ok… não fazer humor sobre qualquer religião, por muito ridícula que ela seja. Mesmo aquelas religiões que comprometem os direitos de mulheres ou te proíbam de receber sangue de outra pessoa, mesmo em casos de vida ou de morte.

#4 – Não fazer humor sobre clubes de futebol. Especialmente, Benfica, Porto ou Sporting, que na sua totalidade somam a simpatia de milhões de portugueses. Há hooligans que são bem malucos da cabeça e ainda te pões a jeito de levar com um very-light.

#5 – Não fazer humor sobre o estado da política em Portugal. Afinal de contas, os políticos são pessoas e têm sentimentos. A única exceção a esta regra é para os chamar de “gatunos” e “filhos da p***”, desde que seguido de um “LOL”.

#6 – Não escrever textos humorísticos sobre as diferenças entre homens e mulheres. Especialmente se escritos por um homem, pois podem ser machistas ou auto depreciativos. De uma forma ou de outra, podes estar a estereotipar negativamente todo um género, potencialmente ofendendo assim 50% da população mundial.

#7 – Não fazer humor sobre doenças graves. Coisas como cancro e SIDA são “off-limits”. Para além de insensível, a piada contribui diretamente para o piorar da doença de todas as pessoas que dela sofrem.

#8 – Pelo sim pelo não, é melhor não fazer piadas sobre qualquer doença. Uma simples gripe matava pessoas aos milhares há umas centenas de anos e gozar com isso é uma falta de respeito para a memória dessas pessoas.

#9 – Não contar anedotas que comecem com “Um Inglês, um Espanhol e um Português…” pois elas acabam sempre mal para os primeiros dois. Basicamente estás a ofender milhões de pessoas de uma só vez, com base exclusivamente na sua nacionalidade. É feio e preconceituoso.

#10 – Não contar piadas racistas. Sempre que ouvires uma, tens de ligar diretamente para a polícia e denunciá-la como encorajamento ao ódio e à segregação. É imperativo que também não te rias de nenhuma piada deste teor nem que alguma vez na tua vida o tenhas feito, sobre risco de passares por hipócrita.

#11 – Não fazer piadas sobre unicórnios. Há de haver pelo menos uma pessoa no mundo que acredita neles e se ela ouve pode ficar ofendida.

Resumindo, só podes fazer piadas sobre uma pessoa no mundo inteiro. É o Zé.
O Zé tem 36 anos, estudou Arqueologia e mora com os pais. Toda a gente detesta o Zé, porque ele diz o que pensa e não pensa no que diz.
Ganda estúpido, ó Zé! Ahahaha

Estão a ver? É simples! O mundo é muito melhor assim.

Hugo Rosa

Partilhar é cuidar!