Favor, nunca enviar esse e-mail…

Bah! Sotaque gaúcho, é inevitável. Meu ouvido está zunindo, a cabeça está meio que girando e eu não posso enviar esse e-mail para você…

Hoje eu fui a uma festa. A terceira que eu saio sem você. É também a terceira festa na qual eu não me sinto desesperada por não te ter. Mas hoje eu me senti mal. Não porque eu sai com as minhas amigas, paguei a conta sem machismo algum e curti sozinha, mas sim porque eu me senti incapaz como uma mulher desacompanhada. Hoje eu voltei pra casa triste porque quase dei um soco na cara de alguém e foram necessários três seguranças para que a ordem voltasse a reinar.

Sim, euzinha quase dei um murro na cara de um cara. E quer saber? O cara tava pronto pra revidar o murro! Mas foi ele quem começou.

Ele chegou em mim e na minha amiga duas vezes. Nas duas vezes eu agarrei a minha amiga, disse que éramos comprometidas e mandei ele vazar. Vê se pode? Uma mulher não pode sair sem inventar que é lésbica ou comprometida! Porque é só dessa forma que os caras nos deixam em paz. Na terceira vez que ele chegou (dessa vez me agarrando de forma abusada) eu fechei a mão e falei um monte de verdades na cara dele. Eu disse que já tinha avisado pra ele não encher e estava pronta para acertar minha mão fechada na cara dele quando olhei para o segurança e ele leu o meu olhar. Na hora ele puxou o cara e mais dois seguranças apareceram.

Nesse momento eu parei e refleti. Um amigo que estava ali perto e acompanhou toda a cena veio tentar me acalmar. Eu não queria me acalmar. Queria apenas ser respeitada como a mulher que sou, sem ter que dar desculpas mentirosas para que um cara parasse de me incomodar. Homens, quem vocês pensam que são? Se uma mulher diz “vaza” é pra você se tocar. Se ela diz “não” é “não” e pronto! Aceitem!

Mas o que mais me incomodou foi sentir saudades de você. De quando saíamos juntos e eu não tinha esse problema, porque realmente estava acompanhada. Senti saudade de quando sabia que estava sendo observada por apenas um homem (exatamente aquele que eu eu queria) e isso me bastava. Nunca precisei da atenção de mais ninguém quando eu tinha você.

Agora somos apenas eu e minhas amigas (enfrentando homens babacas que não se tocam) e você e seus amigos (curtindo fotos de mulheres siliconada e gostosas) e talvez pegando elas. Isso é estranho né? Mas a gente acaba se acostumando…

Hoje eu tentei me apaixonar, ele era incrível, mas não era você. Talvez daqui um tempo isso melhore.

PORMarina Rathke
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...