Falta um final para a nossa história!

Atiro os óculos para cima do banco ao lado e passo a mão na cara. Carrego no acelerador, como se estivesse atrasada. E estou. Demasiado atrasada.

Vou sair com os meus amigos e, estupidamente, decidi usar o mesmo vestido e as mesmas vans que usei no nosso primeiro encontro. Sei que vou passar a noite toda a pensar em ti. Não era isso que eu queria. Mas nada aconteceu como eu queria, porque aquilo que eu queria nunca foi aquilo que eu disse que queria.

Eu podia ligar-te, podia cumprimentar-te quando te vejo, no entanto, tu já não sabes quem eu sou. E eu, estupidamente, não consigo esquecer-me de ti.

Ouço a música que, para mim, é a “nossa música”, é estúpida e não tem nada a ver com as músicas românticas dos outros casais… Eu sei. Eu sei que nunca fomos um casal. E sei que a culpa foi, em grande parte, minha.

Foi uma história que começou e não acabou e talvez seja por isso que me irrita tanto. Nem em filmes gosto de finais em aberto.

Talvez falte, ainda, um “acabou”, mas dito por ti porque eu não consigo, desculpa.

Mal vejo a estrada à minha frente. Paro o carro e olho para o lado. Podias estar sentado no banco da frente do meu carro e não estás.

Olho para mim e lembro-me de quando disseste que o meu vestido era bonito e me ficava bem. Ri tanto nessa noite, que chorei de felicidade. Jamais imaginei que, três anos depois, choraria, com o mesmo vestido, de nostalgia.

É tremenda, admito, a vontade que sinto, diversas vezes, de te abraçar. E não sei nada de ti, não sei se estás apaixonado, se tens namorada… Quero lá saber. Gosto tanto de ti. És, provavelmente, o rapaz mais especial para mim. E mais que isso, à medida que o tempo passa, sinto que vais ser sempre. Não interessa que tenhamos cortado relações.

Ligo o carro, novamente, em poucos minutos atinjo os 120km/h. Só não sei se, a tanta velocidade, fujo para o futuro ou corro de volta para o passado. Se pudesse escolher, escolhia a segunda opção, porque no futuro eu sei que tu estás apenas no meu pensamento, tal como agora.

E eu tenho saudades. Se tu fores o passado, eu dava tudo para ter o passado de volta.