Eu não tenho medo!!!

Eu não tenho medo de ficar sozinha. Eu não preciso de ninguém para ser feliz. Eu aguento ver as minhas amigas felizes com os seus namorados e eu solteira. Eu aguento, a sério. É isto que tenho interiorizado desde que 2015 começou.

E a verdade é que continuo a tentar e continuo a não conseguir. A verdade é que eu posso não precisar de ninguém quando não gosto de ninguém mas eu gosto de ti. E eu que achava que não, por ter estado outra pessoa na minha vida. E eu que achava que estar contigo uma noite (ou duas) me ia fazer bem porque o verão é para aproveitar.

Eu, que achava que me eras indiferente. Mas onde é que eu tinha a cabeça, mesmo? A verdade é que ela está onde tem estado sempre. Fora de mim, fora do que eu sou, fora daquilo que fui até há bem pouco tempo. Fora de tudo o que são as minhas crenças e aquilo em que eu acredito ser suportável. Fora de mim, mesmo.

Já não me entendo, já não sei mais como tentar superar e superar-te. Acho que já nem sei disfarçar e sinceramente já nem quero. Já passou um ano desde que estivémos juntos pela primeira vez e desde a primeira vez que me fizeste sofrer.

Um ano, e um ano depois aqui estou eu de novo, no mesmo sítio, no mesmo sofá, com o mesmo sentimento e a mesma dor. O que dói mais é que tu não queres saber de mim, da minha vida, do meu nome, de quem eu sou. E eu quero(-te) tanto.

Quero tanto saber como vais, o que acontece na tua vida, onde estás. Quero tanto que estejas, ainda que não da maneira que mais quero. E um dia eu sei que vou ter razão por todas as vezes que tento, hoje, acreditar que és bom rapaz.

Chamo-te todos os nomes que te lembres agora, mas no fim, defendo-te com unhas e dentes, perante tudo e todos. Podes ser o maior cabrão neste mundo, podes gozar comigo a quarta vez, mas eu vou defender-te, vou dizer que és um ótimo miúdo e que um dia te vais endireitar com as raparigas.

Apesar de saber que por agora vais continuar a matar a tua sede com uma diferente de cada vez que a sentires. Apesar de saber que vais enviar a mesma fotografia ou bater o mesmo papo com várias até que uma delas aceite jogar esse jogo contigo.

Sem que as conheças, sem que as queiras pelo que elas são. Sem que as impeças de se apaixonarem e, depois, de sofrerem. Tu tens o que queres, e então? É só isso que te importa? É. Fazes-lhes a cabeça da boa maneira que tu sabes e depois de teres o que queres elas não fazem mais parte da tua vida. É assim.

A verdade é que tu me deste a volta à cabeça de uma maneira que sei que mais ninguém me vai dar na vida. Esteja eu com quem estiver, apareces tu antes, durante e depois. Entre quem entrar na minha vida, quando sair, estás lá tu de novo. Pense eu o que quiser, ache eu o que achar, eu não te esqueci e não te esqueço.

E dói, dói tanto, quando uma pessoa não nos dá nada e nós continuamos a querer dar-lhe tudo. Dói tanto quando essa pessoa arranca de nós o que quer, dorme abraçada a nós e no dia seguinte não nos fala mais porque já não é mais preciso.

Dói, muito, quando essa pessoa nos ganha uma aversão tão grande que é capaz de falar mal de nós quando tudo o queremos é dar-lhe o melhor do mundo e o melhor de nós. Dói tanto. Dóis-me tanto. Como é que te mando embora? Como é que te esqueço? Como é que sais? Quando é  que sais? Por favor, eu não quero tudo de novo, eu não quero mais estar assim ainda que tenha estado algum tempo sem ti na minha cabeça.

Eu não consigo mais querer um ponto final e não o conseguir escrever, não. Então por favor, sai da minha vida de uma vez. Deixa a minha cabeça e o meu coração em paz, deixa-me viver, deixa-me apaixonar por alguém, deixa-me esquecer-te, por favor deixa-me deixar tudo de parte para sempre, deixa-me voltar a ser quem eu era antes de tu entrares na minha vida, deixa-me voltar ao ano passado, deixa-me ser feliz.

Sem saberes impedes-me de tudo. Deixa-me.

PORAnónimaMC
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...