Estou perdida!

Estou perdida!

Perdida em meros pensamentos… Pensamentos infantis e ridículos que ninguém com a minha idade deveria ter.

Sou obrigada a dizer que sinto a tua falta!

Sinto falta do cheiro adocicado do teu perfume, daquele aroma que me envolvia como se eu fosse única.

Disseste as palavras certas e agiste da maneira mais conveniente. Perdi-me em ti! Deixei que me enrolasses no teu poema, deixei que me enrolasses tal como o mar enrola a areia.

Relembro com fervor todas aquelas estrondosas gargalhadas levadas pelo vento.

Pensei que fosse a mulher que poderia fazer-te feliz, quando na verdade fui apenas uma menina inconsciente tomada por um impulso.

Permiti que me humilhasses e calcasses bem fundo, infelizmente não deixei que ninguém me levantasse… Permaneci imóvel numa dura realidade. Como foi possível ser tão parva assim? Como é possível amar-te cada vez mais?

É em momentos destes que gostaria de viver nas páginas de um livro, num daqueles livros em que tudo o que imaginamos é possível.

Não quero esquecê-lo! Não quero esquecer uma das pessoas que mais me enriqueceu, apesar de toda a dor que habita em mim, continuo a querê-lo com todas as minhas forças.

Sinto-me cansada deste amor, sinto-me cansada do seu calor, do seu cheiro, da sua presença, mas o seu sorriso é a cura para todos os obstáculos.

Como lidar com alguém que me faz tão bem mas que já me magoou a níveis indescritíveis?

Terei que prosseguir sem ele!

Chegou a hora de a menina se erguer! Chegou o dia de a mulher lutar contra todos os monstros que habitam dentro do armário do pensamento.

O amor não é algo que devamos temer, é algo com que nos devemos acautelar… É o sentimento mais puro que existe, traz-nos uma paz inimaginável, mas é perigoso.

O amor é uma bala prestes a rebentar no nosso peito!

O amor é e será um dos grandes mistérios do coração!

PORSofia Sousa
Partilhar é cuidar!