Estou na paragem!

Estou na paragem, a pensar como seria se estivesses aqui há espera que te protegesse do frio da manhã.

Estou na paragem, a tentar perceber onde eu errei por teres entrado num autocarro diferente do meu.

Estou na paragem, habituei-me à paragem ou ao vazio dela.

São sete e meia da manhã, a hora que apareceste pela primeira vez, não sei o teu nome mas o teu olhar chega para saber que é a ti que se encontra o próximo parágrafo.

Tu chegas (senta-te perto de mim) atarefada, como sempre, sorris disfarçadamente (perco-me nesse sorriso, sabias?) e contas o dinheiro para o bilhete (posso saber o teu nome?). Já vejo o autocarro a aproximar-se (desmancha prazeres), já estás pronta para partir e nem sei se te volto a ver (voltas?).

Esqueci todo o passado que me dominava e toda a dor que me prendia, obrigada!

Estou na paragem e disse-te olá. Estou na paragem e abracei-te. Estou na paragem e beijei-te.

São nove da manhã e é a minha vez de encontrar quem me espera.

Estou na paragem e amei-te sem saberes!

PORMariana F.
Partilhar é cuidar!