Esta é a carta que eu nunca te escrevi


Meu amor,

Já faz algum tempo que sinto a necessidade de te escrever, de te contar certas coisas, de te lembrar certos momentos.

Lembras-te do nosso primeiro beijo? Aquele que nunca se realizou e que ambos tanto desejamos, Lembras-te do nosso primeiro encontro? Aquele que se realizou da pior maneira possível, Lembras-te da nossa primeira zanga? Aquela que aconteceu várias vezes, Lembras-te do nosso primeiro abraço? Aquele que me pediste para te largar, Lembras-te da primeira vez que te pedi em namoro? Aquela vez em que me respondeste com um não, Lembras-te como fiquei quando a tua resposta foi não? Lembras-te de todas as nossas chamadas? Aquelas em que ficamos até tarde a conversar até um de nós adormecer, aquelas que nenhum de nós queria desligar, Lembras-te de todos os corações enviados em cada mensagem? Aqueles que deixaste de usar de um dia para o outro, sabes o quanto dói? Lembras-te daquelas mensagens de boa noite? Aquelas em que expressava um pouco do meu amor por ti.

Provavelmente Lembras-te destes momentos como eu me lembro hoje e me irei relembrar para o resto da minha vida, não quero que fiques triste, não é essa a intenção desta carta. Já faz algum tempo que não falamos, ainda hoje não acredito como é possível uma amizade como a nossa ter terminado assim, não faz sentido estarmos assim, quando ambos podemos ser muito felizes juntos, o meu único desejo neste momento é que todo volte ao que éramos dantes, acho que não é pedir muito, será que é?

Esta é a carta que guardo para mim, a carta que nunca tive coragem suficiente para te contar, a carta que ficou por terminar.