Errem muito, mas com os erros aprendam!

Sou o manto, sou o norte

Sou quem guia a vossa sorte

Sou senhor do firmamento

Sou quem vos limita a este convento

Minhas correntes são palavras

Minha prisão reside em vossa consciência

Minhas crenças são limitadas

Minha doutrina ensina ignorância

Não fui criado para vos enganar

Não era este o meu propósito

Paz e amor sempre quis ensinar

Seria este meu moral contrato

Minhas palavras foram distorcidas

Através de seculos de interpretação

Promessas que não mais são cumpridas

Pois meus ensinamentos foram alvo de violação

Amo a intensidade da vida

Não vos julgueis especiais

A vida nunca é causa perdida

No fim se iluminam estes sinais

Rogo-vos amor e compreensão

Para aceitar as diferenças dos demais

Pois sois vós também diferentes na multidão

O individuo é único entre os mortais

Transmito também valorosa lição

Errar faz parte da vida e da humildade

Errem muito, mas com os erros aprendam

Sigam em frente, rumo a verdade

Unam-se a mim na imortalidade

De um ser que já percorreu semelhante vaidade

Criei-vos a minha imagem em igualdade

Para crescerem e me acompanharem pela eternidade

Desfrutem da vossa Liberdade

Mas nunca se esqueçam de sua Responsabilidade

Dou-vos Liberdade para vossos destinos tecer

Mas tereis Responsabilidade pelo que vier a acontecer

PORTiago Pina
Partilhar é cuidar!