Enquanto me embalas

Como é belo este ser que me faz sorrir sem saber … Os olhos começam a pesar … Não, não, não! Maldito comprimido, deixa-me contemplá-lo só mais um pouco enquanto observa o seu iPad, deixa-me tê-lo só mais um pouco …

Ele deitou-se ao meu lado, está de t-shirt e tapado com o lençol, esgueiro-me agilmente por entre as suas pernas e aconchego-me no seu peito. Como é belo este ser que me faz sorrir sem saber … Os olhos começam a pesar … Não, não, não! Maldito comprimido, deixa-me contemplá-lo só mais um pouco enquanto observa o seu iPad, deixa-me tê-lo só mais um pouco … Estou em Paris sozinha num aeroporto qualquer, não tenho telemóvel nem dinheiro, o que vou fazer? … Como vim parar ao hospital? O que é que ele me está a fazer?

Não! Tira as mãos de cima de mim!

Acordo com o meu próprio grito, a respiração ofegante, estava a espernear outra vez …. Alguém me agarra e sussurra “já passou, já passou” …

Onde é que estou? Resisto a princípio, quem está comigo? Este cheiro? És tu?! Estás comigo? Estou em casa?
“Está tudo bem, foi só um sonho mau, estavas a gritar”

Estava? Que terei dito?

Estive sempre aqui ao lado dele, que tanto bem me quer. Respiro fundo, recupero o fôlego beijo-o e deixo-o embalar-me de volta ao sono, sabendo que depressa me perderei novamente.

Não importa porque vá onde vá, acordo sempre para a mesma realidade para ti, meu anjo.

PORMaggie
FONTEDayDreaming
Partilhar é cuidar!