Enquanto dormes…


É enquanto dormes que me apaixono por ti… mesmo que a nossa vida seja a maior confusão imaginária, de noite, quando me deito, fico a olhar para ti e a contemplar-te e percebo que és tudo aquilo que eu quero para mim.

Adoro adormecer a apreciar cada traço do teu corpo, a forma como os teus lábios carnudos relaxam na hora em que adormeces, na ruga dos teus olhos quando eles se fecham num sono profundo, os traços das tuas costas nuas ali tão perto das minhas mãos e a forma como pareces ter sido feito á medida do meu abraço. A forma como te deitas todo enroscado e agarrado à almofada e quase me fazes lembrar de quando eras uma pequena criança. Ai como adoro ver-te dormir. Ver como consegues ser tão frágil e protector ao mesmo tempo, a forma como me agarras a cada movimento meu só com medo que eu caia a baixo da cama, a forma como, até a dormir sabes que sou desastrada… Ai como te amo cada vez mais só de te ver dormir…

Amo-te a cada amanhecer, e, a cada beijo teu apaixono-me um pouco mais… Tenho pena de só te poder observar durante a noite sabias? Por mim passava o dia inteiro a olhar para ti… és tão bonito… Porque é que não posso passar o dia inteiro a contemplar aquilo que mais amo neste mundo? Que injustiça!!

De cada vez que olho para ti pergunto-me porque é que as pessoas só dão valor ás coisas quando as perdem. Eu, que nunca te perdi dou-te tanto valor. Eu, que sempre te tive só para mim desespero só de pensar que te posso perder… Como alguém foi capaz de te abandonar? A ti tão puro, tão apaixonado, tão eterno? Como? Juro-te que se algum dia perceber me caso contigo e, se não perceber caso também! Quero fazer de ti a pessoa mais feliz do mundo, quero poder mostrar-te o resto das nossas curtas vidas que a cada dia te consigo conquistar um bocadinho mais… Mas também não te podes esquecer que para isso tens de me deixar partilhar contigo o resto da vida os mesmos velhos e gastos cobertores… Quero-te tanto mas tanto, que só de escrever-te esta carta já me apaixonei mais um bocado por ti!