Ele Foi Embora…

Ele foi. E pareceu a ida mais fácil… Sem dor, sem lágrimas, sem raiva, sem mágoa, sem nada. Apenas uma simples ida. Como se fosse simplesmente ao café. Mas não. Ele foi e desapareceu da minha vida. Ele deixou-me desamparada, completamente! Ele deixou-me e não se importou minimamente com isso. Eu fiquei com a raiva, com a mágoa, com as lágrimas, com as dores, com o amor, com o ódio e com tudo. E ele ficou sem nada.

Ele foi e deixou comigo os sonhos. Os sonhos de que algum dia iria voltar. Ele não voltou.
Sinto-me traída, sinto-me enganada. Vivi uma relação sozinha pelos dois. Todos os votos de amor. Todos os votos de um futuro a dois. Todos os pensamentos sobre uma casa, os filhos, um casamento. Ele deixou-me sozinha… Fiquei eu e os sonhos que julgava eu como sendo comuns, que pertencessem aos dois. Mas parece que não… E no final sei que era eu a única sonhadora. Como se esses sonhos me servissem de alguma coisa agora. Agora nada vale de nada. Porque ele foi e eu sei que agora posso agradecer mesmo depois de todas as lágrimas…, obrigada! Obrigada por me dares a oportunidade de ser feliz. Sozinha. De ter amor próprio.

Eu amava-o tanto, porra. E ele da noite para o dia perdeu isso. Preferiu umas noites bem passadas de copo na mão. Enquanto que eu passei a ter umas noites na cama de almofada no peito.
Continuo a importar-me de mais. Ainda vou ver o que é que ele anda a fazer. Ainda tento encontrá-lo no meio da rua sabendo que isso me vai doer ainda mais.

O que estiver destinado para ser meu, meu será. Na altura, só queria que tu fosses o meu destino e nunca to disse…