Ela não te resistia e tu sabias…

Foram olhares envergonhados e sorrisos apaixonados que a fizeram reparar em ti.
Foram as primeiras palavras que se tornaram brincadeiras sem nexo que a fizeram olhar para ti com outros olhos.

Uma mensagem e outra e mais uma, viciaste-a e tu eras o seu vicio porque ela sabia que assim que olhasse ao ecrã ia ler as tuas palavras. Ela sabia que no final do dia tu irias fazê-la sorrir com a tua frase de boa noite. Ela sabia que te ia ver passar no corredor e que lhe ias lançar aquele olhar profundo e mexer no cabelo daquela tua maneira irresistível.

Ela nem ligava aos avisos e concelhos de ninguém porque por momentos acreditou que poderia existir algo, algo a serio.

Tu sabias que a enlouquecias, tu sabias que a ias ver todos os dias passar e olhar para ti com a sua melhor roupa, o mais cuidadosa possível para não ficar minimamente mal à tua frente.

Tu sabias que se falasses ou brincasses com ela, automaticamente o seu coração palpitava mais rápido, a sua respiração ficaria mais pesada, as borboletas ficariam agitadas no seu estômago e o seu rosto coraria. Tu sabias e gostavas que ela se sentisse assim por ti.

Tu sabias que houveram momentos em que ela daria qualquer coisa por ti.
Tu sabias de isto TUDO, e a única coisa que fizeste foi aproveitar-te dos sentimentos frágeis dela.

Ela perdeu. Confiança, esperança e pelos vistos perdeu-te a ti.
Por ti, ela perdeu. Perdeu-se nas tuas mentiras.

As tuas palavras não passaram de meras ilusões e aparentemente tu parecias estar a gostar da maneira como ela reagia a cada palavra.
Foste a desilusão dela.
Desiludiste-me.

PORA.G.
Partilhar é cuidar!