E Agora?…


Já tenho saudades de adormecer ao pé de ti. Já tenho saudades de ser a mulher mais feliz do mundo.

E agora? Adormeço todas as noites com as minhas mãos dadas, a fingir que são as tuas. Todas as noites adormeço a chorar, tarde, às 4h da manhã.

E se estivéssemos bem? E se nada disto tivesse acontecido? Eu sei que ainda estávamos bem. Sei que ainda falávamos, sei que ainda me mandavas mensagens a relembrar o quanto gostavas de mim e o quanto sentias a minha falta. Embora essas palavras sejam falsas, vou ter saudades tuas.

Eu tomei uma decisão e não me sinto bem. Não com a decisão que tomei, mas comigo mesma. Acabei connosco para podermos vir a ter alguma hipótese no futuro. E é isso que eu quero.

Nós só nos devíamos ter conhecido daqui a dez anos. Dez anos… O que seria se isso tivesse acontecido? Estavas apaixonado por alguém? Tinhas filhos? Uma casa? Deviam ser tudo coisas nossas. Os nossos filhos, a nossa casa ao pé da praia, a nossa casa de campo, os nossos momentos. Devia ter sido a nossa história.

Desculpa se te estou a fazer sofrer. Eu sempre tive muita pena de ver as pessoas mal, mas tu só estás assim porque queres. Foste tu que estragaste tudo. Foste tu que quebraste toda a confiança que eu depositara em ti. Até hoje, nunca me arrependi de nada. Nem me vou arrepender.

Tu sabes que eu sou cautelosa. Nunca dou um passo para a frente sabendo que mais tarde, passe o tempo que passar, possa dar dois passos para trás. E contigo quebrei as minhas próprias regras, as próprias imposições que fiz a mim própria. Eu quebrei-as por ti, não foi por mais ninguém. E tu nunca me agradeceste por isso.

Tu nunca me agradeceste por nada daquilo que eu te fiz. Nunca me agradeceste por te amar, sim, porque continuo a fazê-lo. E agora que te perdi? Ainda amo mais.

Já sei o que sentem as pessoas apaixonadas que perdem o amor da vida delas. Eu nunca quis sentir isto. Eu nunca te quis perder. Eu pensava que o amor era para durar. Para sempre.

Um mês tornou-se num ano… Um ano tornou-se em dois… E de dois passaram a três… Como é que pôde passar tão rápido? Como é que a nossa vida pôde mudar de um momento para o outro? É estranho…

Não estava nos meus planos encontrar-te, mas quando te encontrei, senti-me a pessoa mais feliz do mundo. Sabia que podia falar contigo, quer fosse a sério ou a brincar. Podia sentir o teu cheiro, embora não fosses meu, embora não passasses de mais um amigo. E eu? Não passei de quê para ti?

Quando te conheci senti que eras a melhor pessoa do mundo. Hoje em dia sei que fui eu que moldei essa pessoa, fui eu que a construí, fui eu que a moldei. E obrigada por me teres deixado fazer parte dessa parte da tua vida.

Eu sei que agora te vais tornar numa pessoa má, irreconhecível. Mas não o faças… Deixa que as pessoas possam entrar na tua vida. Elas merecem estar onde eu estive. Elas merecem ter um lugar no teu coração, por mais pequeno que seja. Elas merecem ajudar-te, como eu ajudei.

E agora? Sinto-me vazia. Sinto que já nada vale a pena. Sinto-me traída… Como é que me conseguiste perder?

RECOMENDAMOS