A DISTÂNCIA QUE NOS MATA DE SAUDADE

Existem varias dores que nos fazem sofrer mas aprendi rápido com a vida que nenhuma se pode igualar à dor de não te ter sempre por perto.

Sonhava que assim que te tivesse na minha vida, já mais te ia largar. Que íamos ser felizes todos os dias sem exceção e que o nosso amor já mais teria uma barreira tão real a separar-nos.

Mas a verdade é que as coisas não correram como planeámos…e agora, agora somos obrigados a saber lidar que esta distância.

Sinto saudades tuas.

Saudade é ter o coração apertado por tudo e mais alguma coisa.

Não saber como estás de verdade… ler as tuas mensagens e não saber se as estás a escrever com um sorriso nos lábios ou com lágrimas nos olhos. É não saber se estás a ser sincero quando dizes que já estás melhor da constipação ou se apenas o dizes para não me deixar preocupada. Não poder sentir a tua barba a arranhar quando dizes que acabaste de a cortar. Não saber se cuidas bem de ti mesmo como eu cuidaria. É saber tudo e não saber nada…

Dói-me o peito quando nos recordo abraçados e felizes.

Querer-te por perto e não te ter faz com que me sinta cada vez mais infeliz, a cada dia que passo longe de ti.

“Quando voltas?”

É esta a pergunta que faço sempre com o coração nas mãos. Não por não querer saber mas sim porque a resposta pode doer.

“Assim que puder…o mais rápido possível. Prometo!”

Uma frase tão simples que poderia acalmar-me mas que não tem esse efeito em mim. O que eu queria ouvir era que voltavas amanhã, sim, o amanhã seria o dia perfeito para te ter outra vez junto a mim, junto ao meu coração.

Quando a distância acaba por ser inevitável, várias são as etapas que se aproximam….

Primeiro, vem a negação. Não conseguir interiorizar que vai acontecer, que vamos ficar longe um do outro.

Depois, a insegurança, os ciúmes e as saudades invadem-nos. Começamos a pensar que realmente pode não resultar, que não estamos preparados para um paço destes e que pode tudo desmoronar sem podermos fazer nada para o impedir.

Mas a confiança começa a surgir. Aí as coisas parecem acalmar, percebemos que realmente podemos confiar um no outro e isso é o que interessa para fazer a relação resultar.

E quando percebemos que realmente temos de saber lidar com a distância começamos a ser criativos. Sim, criativos na forma como demonstramos o nosso amor. Uma carta romântica, uma chamada a meio da noite, uma publicação no facebook…não importa, qualquer gesto vai ser visto como a maior demonstração de amor de sempre! E aí percebemos que fomos feitos um para o outro, mesmo com esta barreira a separar o nosso amor.

Porque a distância pode separar dois olhares…mas nunca conseguirá separar dois corações apaixonados.
E eu…eu amo-te tanto que era capaz de esperar por ti o resto da vida.

PORSara Cibrão
Partilhar é cuidar!