Dieta da Alma

Cada dia aumenta a preocupação e os cuidados com o corpo.

Não faltam dietas, comprimidos, sumos, cremes, exercícios para emagrecer, para engordar, para ajudar a manter o peso, para controlar o colesterol e os diabetes, etc.

Todas têm um sentido bom e positivo: cuidar e tratar do nosso corpo e organismo através do controlo da alimentação (qualidade, quantidade, e variedade), para temos uma vida mais saudável e de maior qualidade.

Mas às vezes devemos perguntar- nos: quem é que vai cuidar e tratar da nossa alma? Como o vai fazer? Qual a dieta ou remédio que elimina as “toxinas” do nosso interior, e o excesso de “gordura” e “calorias” das nossas emoções?

Acho que podemos e devemos prescrever a nós próprios uma dieta para a alma, à base de alguns cortes radicais que só serão possíveis através de uma grande força de vontade e coragem, e elas devem sair/emergir da nossa própria alma e serem produzidas pela certeza que é possível ser realmente feliz e viver em paz.

Esta dieta está baseada na eliminação do “lixo tóxico” interior que pode existir em nós, que se resume em alguns sentimentos maus tais como: orgulho, vingança, ódio, raiva, inveja e amargura.

Muitas das pessoas que conhecemos e vamos conhecendo ao longo do tempo, por vezes revelam estas facetas, e assim estas características saltam logo a vista, e delas devemos manter alguma distância de segurança.

Todas as pessoas que são demasiado orgulhosas são um pouco doentes, e nem sempre se apercebem disso, o orgulho conduz ao isolamento, muitas delas vivem numa ilusão de querem ser aquilo que não são, acreditam que nunca erram, que nunca falham em nada, acreditam verdadeiramente que são os melhores dos melhores e que não precisam de nada nem ninguém, mas também não se lembram que dessa forma vão acabar as suas vidas sozinhas, abandonadas, e frustradas.

Ao eliminar o orgulho, virão ao de cima outros sentimentos que tornaram a nossa vida melhor e de qualidade superior.

Na vida nada é melhor do que viver um dia atrás do outro, por isso mesmo devemos evitar ser pessoas de espírito vingativo, pois a vingança é a arma dos fracos, a vida dá sempre muitas voltas, por isso devemos aguardar, pois ela é que se vai encarregar de esclarecer muitas coisas e fazer a sua devida justiça por mais difícil que possa parecer.

O ódio e a inveja é por vezes um “atestado de incompetência”, alem de ser pobreza de espírito e de um péssimo mau carácter.

Os invejosos têm um sorriso falso, e por vezes uma mente doente que geralmente contamina outras pessoas, destruindo amizades, reputações e relacionamentos.

É bom vermos também o sucesso e a alegria dos outros e ajudá-los nas suas conquistas e vitórias, pois no mundo há muito espaço e o sol quando nasce é para todos.

Todas as pessoas amarguradas vivem constantemente numa tristeza e com a alma no maior dos sofrimentos.

A amargura, quando queria raízes no coração produz o ressentimento, e o desencanto pela vida, e revela-se na tristeza profunda que transparece através do um olhar sem brilho e distante, e pelo sorriso vazio ou pelo coração fechado ao amor e a vida.

Quantas pessoas existem que não conseguem sorrir verdadeiramente e que perderam completamente a alegria de viver? Como é possível viver feliz com a amargura no coração?

Devemos tentar e querer ser pessoas melhores, sorrir e agradecer por tudo o que somos e que temos todos os dias, viver mais e melhor com mais qualidade de vida, e estar de bem com a nossa vida e com a dos outros.

Mais um sorriso verdadeiro por dia, nem sabe o bem que lhe fazia…

PORJoana G.Torres
Partilhar é cuidar!