Diário de um Vampiro I

Chamadas no telemóvel,
Eu comecei a receber,
Ameaças de morte,
Comecei a ter medo de viver…

Houve em mim uma mudança,
Nestes anos na escuridão,
Só consigo ter sede de sangue,
No meio da multidão…

Vivi isolada durante algum tempo,
Para me aprender a controlar,
Pois por breves momentos,
Pescoços eu só queria atacar…

Conformei-me com a solidão,
Transformei-me numa pessoa misteriosa,
Com esta minha transformação,
Deixei de ser piedosa…

Tornei-me numa “pessoa” fria,
Numa “pessoa” sem sentimentos,
Já não sorrio como sorria,
Estou entregue aos meus medos…

Sofri uma grande diferença,
E na minha cabeça só oiço vozes,
Que me dizem “desta situação já não foges”,
Perdi a razão da minha crença…

Tenho de me contentar,
Com esta minha nova vida,
Aprender a os meus impulsos controlar,
Para pessoas inocentes não matar…