Diário da tua ausência!

Bom dia,

Calma não escrevo isto porque te quero pressionar, ou qualquer coisa do género, simplesmente com o passar do tempo, voltei a recuperar a vontade de escrever e pensei que seria uma boa ideia escrever algo direcionado a ti, que aponte para o presente e para o futuro e não para o passado. Cansei de viver lá, afinal quem vive de passado é museu.

Penso que cresci sabes? De certa forma, amadureci, encontrei-me, mas não dessa maneira que estás a pensar. Quando digo que me encontrei, falo apenas de mim, daquilo que sou, daquilo que eu era, e simplesmente perdi por viver só para ti e dependente de ti. E sabes? Era tão necessário, uma reviravolta na minha vida, porque só assim, me lembrei o quão forte eu consigo sem ti.

Aprendi que não sou perfeita e isso faz com que eu seja facilmente substituível na vida das outras pessoas, e não existe mal nenhum nisso, porque sou humana. Aprendi a aceitar-me tal e qual como sou, com todos os defeitos e qualidades. Aprendi a ter orgulho em mim, independentemente do que digam ou pensem. Aprendi que ser forte não significa não chorar, mas sim chorar até não conseguir mais, superar, levantar a cabeça, olhar em frente e lutar pelo que se quer. Significa culpabilizarmo-nos pelos nossos atos, pedir desculpa e tentar evitar que aconteça novamente.

Foi difícil sim, olhar-me ao espelho e gostar de mim sem ti, porque o que eu mais gostava em mim, eras tu, mas eu consegui! Consegui orgulhar-me por estar a superar a tua ausência com um sorriso no rosto, mesmo que morrendo por dentro.

Consegui olhar para trás, e ver todo o mal que eu te fiz e entender que nada daquilo poderá voltar a acontecer e para isso eu tinha que mudar, não só por ti ou por nós, mas também por mim, porque eu não quero ser de maneira nenhuma aquela menina mimada e inconsciente que só pensava nela e nos outros e que esquecia que só estava em pé porque tu a seguravas. Eu não posso voltar atrás no tempo e apagar tudo o que te fiz, mas posso-te garantir que nada disso vai voltar a acontecer e que quero-te compensar por cada lágrima e por cada pedacinho de dor que te fiz sentir.

Consegui olhar-me no espelho, e ao ver o teu reflexo em vez do meu, não chorar, mas sim sorrir, e pedir para que estivesses bem. Consegui olhar para a tua fotografia e amar-te com todo o meu amor, tal e qual como sempre fiz. Consegui entrar em casa e sentir-te lá, sentir o teu cheiro, em cada divisão, lembrar de todas as brincadeiras, todos os beijos e abraços, todas as lágrimas e discussões, e só pensar no dia em que te poderia abraçar novamente, porque a saudade está a matar-me, e toda esta insegurança insiste em assombrar-me, mesmo depois de me teres dito me amavas.

Miúdo só quero que estejas bem, que te divirtas e te encontres. E que ao te encontrares consigas encontrar o caminho de volta para mim. Eu amo-te!

PORInês Franco
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...