Desde o primeiro beijo…

Desde o primeiro beijo, me perguntei porquê, mas fui aguentado a dor, mas agora ela escorre-se pela minha cara, cada vez menos eu consigo controlar isso, e tenho medo de fraquejar e não conseguir esconder mais isso, mas a pergunta mantém-se, porquê?

Será isto só mais uma lição que os ‘ Homens do Destino ‘ estão a preparar para mim? Que não seja, pois estou cansado de lições. Quero agora o verdadeiro teste, penso que estou preparado desta vez, preparado para todos os momentos, felizes ou infelizes, preparado para os enfrentar, com toda a garra, até ao fim.

Mas porquê? É só o que não me sai da cabeça…

Eu adoro tudo em ti, desde o primeiro dia que esse sorriso me encantou e o teu olhar me levou a querer mais e mais. Mas tudo o que me atormenta é o porquê, porque te conheci eu nesta tão péssima altura, desde o primeiro dia soube que seria bastante difícil, senão impossível amar-te, pois sabia que não conseguiria confiar em ti.

Sim, admito, eu era mais um rapaz perdido, na tentativa de esquecer toda a dor, e sim, queria usar-te para fazer essa dor ir embora, pois o amor para mim era impossível, esquecido numa despedida injustificada, uma perda enorme como se me estivessem mesmo a dizer: ‘ não ames ‘. Mas a verdade é que me apaixonei, sem saber como, talvez pelos sorrisos e pelas conversas longas e difíceis despedidas na hora de ir repousar na cama.

Eu não esperava isto, eu queria estar contigo apenas por diversão, mas à medida que fomos falando eu queria mais que isso, queria ficar, e nada mais me importava do que ver-te sorrir, e foi aí que a questão principal cresceu mais um pouco, porque te conheci eu quando tu estavas apaixonada por outra pessoa, eu não pedi nada disto, mas o beijo aconteceu, talvez por tu teres as tuas desavenças com a tua paixão, mas aconteceu, e agora estou aqui a escrever isto pois cheguei agora de uma noitada, uma noitada diferente, e não consigo dormir, pois enquanto te despedias de mim sussurraste ao meu ouvido que me amavas, e estavas tão feliz à pouco, sorridente por deixares sair todo esse amor dentro de ti, foste sorrindo e afastando-te, eu não me consegui mexer, fiquei parado a olhar para ti, não consegui dizer nada…

Nem sei se amanhã conseguirei explicar o que sinto, mas tu foges de mim bastantes vezes, e eu sei, falas com a tua antiga paixão, e magoa por dentro, destrói-me os minutos que me deixas para lhe dizeres não sei bem o quê, e é por isso que me pergunto, porquê?

Bastava ter-te conhecido um ou dois meses mais tarde (e eu não saberia de nada disto, mas será que estava assim destinado, que para tu te separares dele eu teria de aparecer?) Se assim fosse talvez aprendesse a confiar em ti, se tu fizesses um esforço para terminares de vez as conversas com ele, como és tu capaz de falar sequer com ele… eu vi as lágrimas que não conteste por causa dessa paixão, o quanto te magoaste, mas puseste tudo isso para trás e agora magoas-me a mim, constantemente…

E se isto que sinto por ti é amor, então eu Amo-te, e me pergunto porquê ao mesmo tempo, e não sei o que fazer…

PORAnónimaaa
Partilhar é cuidar!

PELA WEB

Loading...